23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Poeta setubalense quer homenagear heróis de Abril em todo o País

Poeta setubalense quer homenagear heróis de Abril em todo o País

Poeta setubalense quer homenagear heróis de Abril em todo o País

Setubalense e apaixonada pela poesia, Isalita Pereira compôs um conjunto de estrofes dedicado aos capitães de Abril em homenagem aos “heróis e guardiães” do 25 de Abril de 1974. A poeta escreveu a O SETUBALENSE, apresentando o seu projecto “Coluna dos Cravos da Liberdade”, em homenagem aos capitães de Abril, que envolve vários jornais regionais de todo o País.

Com o desejo de criar um projecto em que pudesse homenagear os heróis da resistência durante a Segunda Guerra Mundial, em Portugal ou na Alemanha, onde nasceu e viveu até 2007, a historiadora aproveitou a sua ligação à cidade de Setúbal para escrever sobre um cravo da liberdade, que faz a ligação entre a cidade do Sado e a revolução histórica que celebrou no passado dia 25 de Abril cinquenta anos.

- PUB -

Cravo da Liberdade –

De Setúbal para Lisboa

 

- PUB -

Sou a Cidade dos Golfinhos.

Com belos cantinhos.

Muita História vivida.

- PUB -

No Coração jamais esquecida.

O Bem – adoro recordar:

Às Novas Gerações contar!

 

25 de Abril de 1974 –

Um Dia muito especial.

Somente existe em Portugal.

Capitães de Abril –

Suas Vidas arriscaram.

Com Coragem –

Liberdade da Ditadura salvaram.

Jovens – Não olharam à idade.

Atuaram com Honra e Solenidade.

Com Orgulho recordo o Passado.

Ao Mundo conto o seu Fado:

 

Na escura Noite da Ditadura.

A Coragem começou perigosa Aventura.

Duas Senhas –

Sinal Vermelho! – Obediência!

Escolheram – Consciência!

Não à Rendição!

Avançar! – Revolução!

Capitães de Abril –

À Nação consagraram Vitória.

Para Portugal e o Mundo – escreveram História!

 

Setúbal –

Cidade dos Poetas e Escritores.

Oferece um Cravo de inspiradores Louvores.

Com a Recordação homenagear.

A conquista de Nova Era festejar.

Cavaleiros, Heróis e Guardiães –

Espingarda com Cravo,

para sempre Nossos Capitães.

 

Uma história que partilha pela poesia

Isalita Pereira fez a sua formação em História na Universidade de Frankfurt. Ao longo das suas vivências foi desenvolvendo também a paixão pela escrita, tendo sido em 2018 que escreveu o poema “Coluna dos Cravos da Liberdade”, em homenagem aos capitães de Abril.

 

Coluna dos Cravos da Liberdade

Na escura noite da Ditadura –
A coragem começou uma aventura.
Movimento das Forças Armadas –
Para Novos Tempos foram designadas.
“… o estado a que chegámos.” – Decisiva declaração.
O princ
ípio do fim pronunciado com convicção.
Coluna Militar
Secreta nas Estradas.
Novas Ordens bem guardadas. Escola Pr
ática de Cavalaria – 
De Santar
ém para o Terreiro do Paço.
Entre Triunfo e Fatalidade decisivo Passo.
No Posto Comando da Pontinha come
çaram.
A Emissora R
ádio Clube Português ocuparam.
Capit
ães suas vidas arriscaram.
Com Esperan
ça duas senhas lançaram.
No sil
êncio na rádio entoaram.
Para sempre
na memória ficaram.
E depois do Adeus começou a História.
Grândola Vila Morena cantou Vitória.
De madrugada a Lisboa chegaram.
Com armas e cora
ção rezaram.
Pararam ao sinal encarnado.
Por
ém, já tinham muito caminho andado.
Len
ço Branco contra a Guerra elegeu.
Decis
ão de Vida à Ordem desobedeceu.
A Liberdade, ningu
ém consegue prender.
A Verdade tem a Justi
ça para crer.
O Pa
ís em nome da Pátria defenderam.
Com a História de Portugal venceram.
No Quartel do Carmo a Ditadura se refugiou.
Cavaleiros, Guardiães e Heróis da História de Portugal
Com a Palavra reviver a Revolu
ção dos Cravos
Coluna Militar de Santar
ém para Lisboa
Noite de 24 para 25 de Abril de 1974
Por
ém, a hora da Queda do Estado Novo se pronunciou.
No glorioso 25 de Abril aconteceu.
A Revolu
ção dos Cravos nasceu.
Capit
ães de Abril com a Ditadura acabaram.
A Portugal
a Democracia consagraram.
Da Coluna Militar
à do Cravo Encarnado.
Ofereceu a Portugal a Solene Liberdade.
No fim do dia ficou o pensar:
O Passado n
ão se consegue apagar.
Na Esfera da alegria o recordar:
Saudade das Vidas, que se perderam a lutar.
Capit
ães de Abril Coragem e Liberdade.
Jovens n
ão olharam à idade.
Vossas Vidas com Coragem arriscaram.
Em nome de Portugal lutaram.
Perante o perigo entre Vida e Morte –
A certeza do escolhido Fado… era mais forte.
Com ousadia e convic
ção olhar firme! – enfrentaram canhões.
Humilde seriedade – Honrado s
ímbolo para sempre nos corações.
A Bandeira se hasteou, a Portuguesa se cantou.
Nova Era a Portugal se consagrou.
 
Cavaleiros, Her
óis e Guardiães –
Espingarda com Cravo, para sempre Nossos Capit
ães. 

25 de Abril de 1974,

Revolução dos Cravos. 

 

Apesar de se denominar de Secreta Poeta, a filha de emigrantes na Alemanha, onde viveu até 2007, gosta de partilhar a sua história, como faz através do poema ‘Biografia da Secreta Poeta’.

 

Biografia da Secreta Poeta

 

O Destino ninguém conhece.

É Deus que a Vida oferece.

Desde a Infância que adoro escrever:

O Mundo dos Livros e seu Saber.

Em Frankfurt am Main para a Universidade fui estudar.

Os estudos com a Licenciatura consegui finalizar:

Licenciada em História.

Porém, Recordação na Memória.

De “Asas para voar” sempre sonhei:

Hospedeira de Terra –

No Aeroporto de Frankfurt Novos Mundos encontrei.

Acontece –

A Saudade da Histórica Poesia a chamar.

Pequena Aventura –

Caneta Pena decidiu perdoar.

Com Tinta no Papel novamente a dançar.

Do Aleluia ao Réquiem infinito o pensar.

Dó, Ré, Mi ….

O Piano também requer atenção.

Poesia com Música que bela União.

Em Terras longínquas deixei o Berço.

Nova Pátria?

Em Terras Lusitanas rezo o Terço.

Da Alemanha para Portugal.

Na Vida misterioso o Roseiral.

Biografia à procura do seu Cantinho.

Somente Deus Senhor conhece o Caminho.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -