16 Maio 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalSetúbalVigília junto ao Centro Hospitalar de Setúbal adiada para 18 de Janeiro

Vigília junto ao Centro Hospitalar de Setúbal adiada para 18 de Janeiro

A iniciativa das câmaras municipais de Palmela, Sesimbra e Setúbal foi adiada devido ao agravamento da pandemia de covid-19 nos últimos dias

- PUB -

A vigília convocada para terça-feira pelos três municípios da área de influência do Centro Hospitalar de Setúbal (CHS), para exigir o reforço de meios naquela unidade hospitalar, foi adiada para 18 de Janeiro, revelou hoje fonte da organização.

A iniciativa das câmaras municipais de Palmela, Sesimbra e Setúbal, adiada devido ao agravamento da pandemia de covid-19 nos últimos dias, pretende sensibilizar a administração central para a necessidade de mais investimento no CHS, bem como para a necessidade de um reforço imediato de profissionais de saúde.

No final de Setembro, o director clínico do CHS, Nuno Fachada, pediu a demissão face à degradação das condições de trabalho e à falta de recursos humanos para garantir a qualidade de atendimento aos utentes, posição que teve a solidariedade de mais de 80 médicos responsáveis por vários serviços, que também apresentaram o pedido de demissão, mas todos continuaram no exercício de funções.

- PUB -

A falta de recursos humanos no CHS afecta vários serviços, mas é particularmente grave na Obstetrícia e Anestesiologia.

Dado que consideram não ter havido qualquer melhoria significativa no CHS nos últimos meses, as três câmaras municipais, de Palmela, Sesimbra e Setúbal, decidiram manter a vigília, agora reprogramada para as 18h00 de 18 de Janeiro.

 

- PUB -

GR / Lusa

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas

“A Judiciária que investigue, não temos nada a esconder”

Igor Khashin e Yulia Khashina falam pela primeira vez após o inicio da polémica

Matias Damásio a abrir com The Gift pelo meio e Dulce Pontes a fechar as Festas de São Pedro

Calendário das três actuações está definido. Depois de dois anos de interregno, a tradição volta a ser o que era
- PUB -