23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Inóspita no rooftop do Fórum Luísa Todi com sala cheia e público “receptivo”

Inóspita no rooftop do Fórum Luísa Todi com sala cheia e público “receptivo”

Inóspita no rooftop do Fórum Luísa Todi com sala cheia e público “receptivo”

Artista apresentou projecto a solo no festival ‘Guitarras ao Alto’ num concerto que “correu muito bem”

 

A jovem lisboeta Inês Matos apresentou-se aos setubalenses neste domingo, no rooftop do Fórum Municipal Luísa Todi. Com o projecto de guitarra a solo Inóspita, em concerto da programação do festival Guitarras ao Alto, a artista, que tem “infelizmente” pouca ligação à cidade, garante que concerto correu “muito bem”, com uma sala “bastante cheia” e um público “muito receptivo.”

- PUB -

Este concerto de Inóspita integrou a nova programação cultural do rooftop do Fórum Municipal Luísa Todi, que está a decorrer até Outubro, tendo sido iniciada a 3 de Março, com um concerto do guitarrista André Santos.

A artista lisboeta garante que, após este concerto não tem nada marcado na cidade do Sado, mas espera que “seja o mais breve possível”. Apesar de não ter muita ligação a Setúbal, sem ser “memórias de Verão”, Inóspita assegura que é algo que “gostaria de corrigir assim que possível”.

Em declarações a O SETUBALENSE, Inóspita conta que a sua paixão pela música nasceu aos nove anos, quando começou a tocar guitarra de “forma descomprometida”, tendo sido nessa altura que cresceu o “poder de replicar e criar aquilo que os ouvidos gostam”, fazendo com que a paixão continuasse até hoje.

- PUB -

Com a expectativa de levar este projecto até onde “a imaginação e o público deixarem”, a artista salienta que gostava muito de tocar no estrangeiro em bares ou outros sítios onde é possível ter “uma relação com as pessoas”.

O nome artístico de Inóspita nasceu quando, em adolescente, um amigo decidiu fazer a combinação de “Inês e pita”. “Gostei bastante de ter um adjectivo ‘mau’ relacionado com o que faço. Temos todos um lado inóspito dentro de nós”, explica a artista.

Promovida pela Câmara Municipal de Setúbal, esta edição do festival Guitarras ao Alto tem direcção artística de Vasco Durão e produção executiva da Ghude, em parceria com o Soam As Guitarras. Agora segue-se, a 5 de Maio, um espectáculo de Homem em Catarse, projecto do guitarrista e compositor Afonso Dorido.

- PUB -

Quanto ao encerramento do festival Guitarras ao Alto, está a cargo do músico O Gajo, que a 2 de Junho vai “explorar um universo sonoro” feito de “intrincados dedilhados” numa viola alentejana.

O programa do evento conta ainda com concertos de Tim e Pedro Jóia, a 29 de Maio, e de Rodrigo Leão e José Peixoto, a 30 de Maio, ambos às 18 horas.

Em nota de Imprensa, a autarquia sadina destaca que no terraço da “maior sala de espectáculos do concelho” há, ainda, palco para as “famosas sessões” dos Poetas do Povo, promovidas pela Associação A Palavra e curadoria de Alexandre Cortez.

O rooftop contará ainda com diferentes músicos e convidados especiais, actores e humoristas. As sessões, também com início às 18 horas, realizam-se a 7 de Julho, com A Poesia das Revoluções, a 25 Agosto, com Poetas do Sado, a 1 de Setembro, com A Poesia Não é Para Rir, e a 6 de Outubro, com Horto de Incêndio, a poesia de Al Berto.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -