24 Maio 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioSociedadeMarca ECO Continente doa 50 mil euros à Ocean Alive para defender...

Marca ECO Continente doa 50 mil euros à Ocean Alive para defender Ponta do Adoxe

Alavancar plano de acção anual para a conservação e restauro da pradaria

 

- PUB -

A Ocean Alive, Organização Não Governamental para o Desenvolvimento, com projecto em muito dedicado ao Estuário do Sado, vai receber um “financiamento de 50 mil euros do Continente” para impulsionar o seu “plano de acção anual para a conservação e restauro da pradaria marinha da Ponta do Adoxe”, um canal de navegação entre Setúbal e Troia.

Este financiamento, através da marca de produtos ECO do Continente, vai permitir ajudar a Ocean Alive “no plano de sensibilização junto dos veraneantes e da população local para alavancar mudanças duráveis que salvaguardem a pradaria da Ponta do Adoxe, habitat berçário das presas de uma população residente de golfinhos e do peixe e marisco da comunidade piscatória”, refere a marca Continente em comunicado.

- PUB -

“As acções de educação marinha da Ocean Alive na Ponta do Adoxe, em parceria com o Continente ECO, começaram em Agosto e têm a UNESCO como parceiro institucional”, acrescenta o mesmo documento.

Tratando-se de um projecto-piloto, que visa “ajudar à protecção de outras pradarias do estuário que estão a ser degradadas pelos mesmos factores”.

O plano de acção pretende assim “responder e eliminar os dois problemas” actualmente causadores da degradação da pradaria: o “desconhecimento generalizado sobre o seu valor” e a “inexistência de normas de navegação que salvaguardem a pradaria”.

- PUB -

Refere o Continente que a gama ECO “foi criada a pensar que a ‘Nossa Casa Não Acaba em Casa”, ou seja, tudo o que os cidadãos fazem no seu dia-a-dia “tem impacto no planeta”.

Explica Ana Alves, directora Comercial de Marcas Próprias da Sonae MC, que a empresa “quer ir mais longe”, e “formar parcerias que contribuam de forma realmente positiva para o planeta”.

No caso das pradarias, como a do Estuário do Sado, “além de serem o berço de muitas espécies como os golfinhos, são do ponto de vista do sequestro de carbono muito importantes, já que a sua capacidade de ‘absorção’ é superior às florestas terrestres e dura mais tempo, entre séculos a milhares de anos”, e acrescenta: “As pradarias marinhas são críticas para que Portugal possa alcançar a ‘neutralidade carbónica’ em 2050, tal se comprometeu internacionalmente”.

A Ocean Alive é uma ONG fundada em 2015, e promove a protecção do oceano através da educação marinha e da transformação de comportamentos, e ajuda à empregabilidade das mulheres da comunidade piscatória – através de programas de educação marinha, campanhas de sensibilização, avaliação de impacto e monitorização e advocacy (influência local e recomendações ao Governo).

Comentários

- PUB -

Mais populares

Piscina na urbanização dos Fidalguinhos está quase a sair do papel

Obra de 3,5 milhões de euros já tem projecto e concurso pode avançar ainda este ano. Futuro equipamento terá capacidade para cerca de 700...

Cidade perde rede de agentes com chegada da Transportes Metropolitanos de Lisboa

Rede com mais de uma dezena de estabelecimentos, construída pelos TST, desfeita com chegada de nova transportadora, prejudicando utilizadores mais velhos

Jovem sequestrado e violado em casa de banho da estação de comboios de Coina

Rapaz de 16 anos foi abusado por homem de 43. Violador está agora em prisão preventiva
- PUB -