23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Polémica sobre a redução do IRS: Há mesmo filhos e enteados

Polémica sobre a redução do IRS: Há mesmo filhos e enteados

Polémica sobre a redução do IRS: Há mesmo filhos e enteados

E de repente a “bomba estoirou”, mas o estranho é ter acontecido depois do debate.
Reparem, o governo disse o que estava no seu programa e não mais que isso. Disse o que sempre disse, desde a campanha. Não mentiu. Disse que o valor era comparativo a 2023, e também aí, não mentiu.
Tinha à sua direita todo o “Estado maior”, o actual e o anterior (com a execpção de António Costa) e eles ficaram calados. Entre eles, estava o Ministro das Finanças que elaborou o Orçamento de Estado e teve dois dias para ir assumir a paternidade dos famosos 1,3 mil milhões de euros que estavam inscritos inseridos no Orçamento de Estado e pergunta-se: porque não o fez? Porque não reivindicou para si a autoria desses descontos.
Sabem porquê? Porque o pai desses descontos foi efectivamente o PSD. Recordo que essa proposta foi apresentada pelo PSD em Março de 2023 pelo PSD, curiosamente há um ano e foi rejeitada pelo PS e com a abstenção do Chega, do PCP, do BE e do Livre e só a IL acompanhou o PSD e votou a favor.
Recordo que essa proposta era já para o Orçamento de Estado de 2023 e o Partido Socialista chumbou.
Sucede que, entretanto, foram marcadas eleições e o Partido Socialista, adivinhando que ia perder, inseriu, à pressa a proposta do PSD no Orçamento de Estado, como se sua fosse.
E foi isso meus amigos, traído pela sua mente, qual acto falhado, o PS sabia melhor do que ninguém que a proposta original era do PSD e por isso nem a reivindicou como sua, quando o podia fazer.
No dia seguinte, quando vê, num artigo escandalosamente tendencioso um editorial do jornal Expresso, então foi a reboque do mesmo, assim como todos os outros partidos, atacando o PSD, quando não o fez no lugar próprio.
Mas há mais, pergunto: O ex-Primeiro-Ministro, António Costa, era useiro e vezeiro em truques de ilusionismo em que dava 10 com uma mão e tirava 20 com a outra e todos aplaudiam o seu tacticismo e forma inteligente de nos ludibriar e ainda aplaudirmos.
O actual PM anuncia que vai fazer um desconto que realmente se vai verificar, superior ao que está no OE, desconto que ele próprio foi o primeiro a propor e de repente passa ele a ser o impostor?
E mais, mesmo que se assumisse que a paternidade dos tais 1,3 mil milhões de euros fosse do OE, o governo actual, não só os vai aplicar, como vai além disso.
Quando um outro governo, foi para além da Troika, sempre com o superior interesse dos portugueses na mira, pois, mais cedo se livraria da troika com essas medidas, souberam todos cair em cima desse PM e do PSD e agora que é para distribuir benesses e vai para além do que alegadamente está estipulado e, mesmo assim, cai-se em cima do mesmo – o PSD.
É como eu digo, há mesmo filhos e enteados…

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -