21 Janeiro 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioOpiniãoEm Setúbal, a Água volta a ser de todos!

Em Setúbal, a Água volta a ser de todos!

A Câmara Municipal de Setúbal aprovou, a semana passada, a proposta da CDU para o regresso dos sistemas de abastecimento de água e saneamento à gestão pública municipal.

- PUB -

Com esta decisão, são reativados os Serviços Municipalizados de Setúbal e acaba o negócio da gestão privada da água, trazida pela gestão autárquica PS em 1997, num contrato ruinoso que amarrou o concelho por 25 anos.

É uma decisão importantíssima não só no contexto local, mas também nacional e até internacional, quando há movimentações poderosíssimas em torno da gestão da água.

Mas principalmente é uma decisão que faz toda a diferença na vida das pessoas! As populações do concelho de Setúbal bem sabem o que penaram, com os interesses privados a controlar a água e o saneamento e a praticar preços exorbitantes.

- PUB -

A defesa da gestão pública da água é uma marca do projeto da CDU. Seja no Poder Local Democrático, seja na política nacional e no plano legislativo. Assumimos o acesso à água potável e ao saneamento de águas residuais enquanto direitos humanos, que devem ser geridos em função do interesse público e não estarem submetidos ao interesse privado (como vemos pelo País em autarquias de outras forças políticas, por suas próprias opções).

O PCP tem vindo a propor e a lutar por uma política de recursos hídricos que, na base de uma nova Lei da Água, garanta o acesso à sua utilização como direito inalienável das populações, preserve e aprofunde a sua gestão pública e impeça a sua mercantilização.

A verdade é que, também neste domínio, o PS nunca rompeu com as opções da política de direita.

- PUB -

Ainda nos recordamos quando, em 2005, o Governo PS/Sócrates aprovou uma “Lei Quadro da Água” que era um canal aberto à voragem privatizadora e aos interesses das multinacionais.

Nesta atual fase, na gestão dos recursos hídricos, as estruturas públicas perderam trabalhadores, meios e competências, foram afastadas da gestão de albufeiras. As estruturas públicas perderam capacidade de assegurar a gestão, a planificação e até a monitorização de protocolos internacionais.

A falta de investimento público, a má gestão e gestão concentrada na obtenção de lucro nas barragens dedicadas à produção energética agravaram problemas de seca, de poluição e de perda de qualidade da água.

Prosseguiu a estratégia de mercantilização e privatização da água preparando a entrega da captação e distribuição de águas e recolha e tratamento de águas residuais a empresas privadas. Para isso serviu também o processo de verticalização daqueles serviços públicos, com a expropriação de competências dos municípios e de chantagem para a agregação com a criação de sistemas de grande dimensão.

Importa recordar que só na segunda metade do século passado, nos países com maiores índices de desenvolvimento, se assumiu que a generalização e democratização do acesso das populações aos serviços essenciais eram uma obrigação do Estado. Tratou-se de um enorme avanço civilizacional, profundamente ligado a um importante progresso da qualidade de vida, contribuindo decisivamente para a melhoria da saúde pública.

É neste contexto que a água deve ser reconhecida como fazendo parte do próprio direito à vida, e não como um “produto” para lucros milionários.

Por isso, a luta para impedir que a água se transforme naquilo a que o capital chama o “negócio do século”, e pela sua defesa como bem essencial à qualidade de vida, assegurada num sistema de serviço público, é parte integrante da luta mais geral pelos direitos e interesses dos trabalhadores e das populações.

Também por isso mesmo, esta decisão da Câmara Municipal de Setúbal é uma decisão histórica. Mais uma vez se confirma: aqueles que havia pomposamente decretado o “Fim da História” … estavam a ver mal o filme!

Comentários

- PUB -

Mais populares

Pinhalnovense não tem jogadores para ir a jogo no próximo domingo

No Campeonato de Portugal a situação está muito complicada para os clubes da região porque o Barreirense está numa posição delicada na tabela classificativa...

Pinhalnovense sem jogadores para jogar fez falta de comparência

A 12.ª jornada do Campeonato de Portugal ficou marcada pela falta de comparência do Pinhalnovense no jogo que deveria disputar em casa com o...

Vereador diz que cães vadios fogem com crânios na boca e acusa PS de tratar mal os vivos e pior os mortos

João Afonso volta a criticar serviço nos cemitérios. Autarca do PSD denuncia ossadas lavadas em tanques da roupa e colocadas em caixas de fruta a secar. Nuno Canta diz que é fantasia
- PUB -