8 Dezembro 2021, Quarta-feira
- PUB -
InícioOpiniãoChoro olímpico

Choro olímpico

Sou do tempo em que desporto na TV pouco mais era que os Jogos Olímpicos. Lembro-me do Carlos Lopes, Rosa Mota e muitos outros nos darem muitas alegrias. Sei que o António Leitão comia uma feijoada e a seguir ganhava medalhas.

- PUB -

Entretanto os tempos mudaram, e de que maneira. Confesso-me um pouco lá atrás. Fico perplexo quando vejo os nossos olímpicos chorarem como meninos porque perdem. Suspeito que, em grande parte, a derrota fica explicada, não estão preparados para ganhar.  Sei que o Eusébio em 66 chorou em Wembley, não é comparável.  Não me parece nada bem que as televisões insistam neste tipo de imagens: choro e conversa menos própria, “o bronze não é para mim, eu sou ouro”. Não há aqui qualquer espírito Olímpico. Dizer “eu sou ouro” é, no mínimo, impróprio para o colega que ganhou o ouro. Não quero que as minhas crianças vejam isto. Não é bom exemplo para nada, sobretudo quando vem de atletas olímpicos supostamente ditos de alta competição.  Não há ninguém nesta equipa olímpica que eleve a coisa para padrões corretos e justos? Antes de treinarem as diferentes especialidades esta gente tem, de ter, obrigatoriamente, formação e preparação a outro nível. Até parece que não somos o país do Cristiano Ronaldo, um exemplo de atitude em tudo o que um atleta global tem de ser, antes da dimensão desportiva.

Recordando um passado recente, suspeito que, após os Jogos, a coisa não vai ficar por aqui; a festa vai continuar no Palácio de Belém com o entretém popularucho do país de sucesso e ganhador do faz de conta.  E assim cá vamos cantando e rindo numa situação que parece tão bem e nunca esteve tão mal.

“Tristes os que se identificam com tão fracos heróis!”(António Barreto, a propósito de Otelo, Público, 31 jul 21)

- PUB -
- PUB -
[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
Artigo anteriorChamamentos
Próximo artigoSetúbal, casa comum
Carlos Cupeto
Universidade de Évora
- PUB -

Mais populares

Tribunal reconhece direito de retenção de casas a famílias de Azeitão após falência de cooperativa

Decisão reconhece que famílias têm os seus créditos "garantidos" e "reconhecidos" pelos montantes que já pagaram, e que, como “consumidores” e por "tradição", têm...

Caso de gripe das aves detectado em Palmela

A DGAV lembrou que não existem evidências de que a gripe aviária seja transmitida para os humanos através do consumo de alimentos, como carne de aves de capoeira ou ovos

Águas de Moura subiu ao segundo lugar da tabela classificativa

Dos três da frente ninguém conseguiu ganhar e quem tirou partido disso foi a equipa orientada por Gonçalo Cruz que é agora vice-líder da competição.
- PUB -