24 Maio 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioOpiniãoO espírito Olímpico

O espírito Olímpico

Começaram os jogos da XXXII Olimpíada em Tóquio, um ano depois do que estava previsto e desta vez sem público devido às razões por todos nós conhecidas. Mas nem estes constrangimentos conseguem retirar a grandiosidade ao maior evento desportivo do mundo que juntam atletas de todo o mundo e de diversas modalidades.

- PUB -

Os Jogos Olímpicos da era moderna têm conseguido saber-se adaptar-se ao longo dos tempos. Desde a primeira olimpíada desta era, em 1896, que cada vez mais modalidades se têm juntado à lista de modalidades olímpicas, conseguindo assim aumentar o espetáculo, a competição, o número de atletas e ir ao encontro dos cada vez mais diferenciados gostos e interesses dos amantes do desporto.

No nosso país, como sempre acordamos de um período letárgico de 4 anos onde dedicamos toda a nossa atenção e foco a apenas uma modalidade desportiva, e recordamos que existem mais modalidades desportivas. Como nas últimas edições dos jogos vários atletas nacionais, a custo de muito trabalho, empenho, dedicação e estoicismo, têm conseguido superar todas as contrariedades e contra todas as expectativas e alcançar excelentes resultados permitindo-lhe poderem participar na maior competição desportiva do mundo. Atletas do judo, atletismo, canoagem, triatlo, ciclismo entre outras têm conseguido trazer medalhas olímpicas, enchendo naturalmente o país de orgulho pelas suas prestações.

Um atleta olímpico não se faz em 4 anos. As performances que vemos nos jogos, são o culminar de anos de trabalho intenso desde os primeiros anos de vida dos atletas. São fruto de um elevado investimento pessoal e das suas famílias que por si só não terá sucesso, necessitando para que tal aconteça de um acompanhamento cerrado por parte de clubes e outras entidades políticas e desportivas.

- PUB -

Se queremos mudar o paradigma do desporto português, temos de em primeiro lugar alterar por completo a nossa atitude e postura. Terá de se apostar fortemente na formação de novos atletas em diversas modalidades, nas condições de treino e de competição, e principalmente não concentrar a esmagadora maioria das crianças em apenas uma modalidade esperando que se tenha a sorte de encontrar uma nova estrela do futebol.

Desejo a todos os atletas portugueses que participam nestes jogos todo o sucesso e que se consigam alcançar todos os seus objectivos. Independentemente de medalhas, todos nós estamos muito orgulhosos.

PS

- PUB -

Faleceu Otelo Saraiva de Carvalho, líder operacional do 25 de Abril. A sua acção nesse dia foi fundamental para que o movimento que libertou Portugal de uma ditadura serôdia não se transformasse num banho de sangue fratricida. Os erros que cometeu depois não nos podem fazer esquecer o importante papel que teve para hoje vivermos em democracia. Naturalmente não era uma figura consensual, e a suas posições extremistas acabaram por afastá-lo de um papel mais proeminente que poderia ter tido no Portugal democrático. Que descanse em paz e obrigado pela liberdade que ajudou a dar a este país.

Comentários

Artigo anteriorNada sobre nós sem nós
Próximo artigoSopa de verão
- PUB -

Mais populares

Piscina na urbanização dos Fidalguinhos está quase a sair do papel

Obra de 3,5 milhões de euros já tem projecto e concurso pode avançar ainda este ano. Futuro equipamento terá capacidade para cerca de 700...

Cidade perde rede de agentes com chegada da Transportes Metropolitanos de Lisboa

Rede com mais de uma dezena de estabelecimentos, construída pelos TST, desfeita com chegada de nova transportadora, prejudicando utilizadores mais velhos

Jovem sequestrado e violado em casa de banho da estação de comboios de Coina

Rapaz de 16 anos foi abusado por homem de 43. Violador está agora em prisão preventiva
- PUB -