21 Janeiro 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioOpiniãoDia Internacional da Mulher: “Mulheres no Associativismo Popular"

Dia Internacional da Mulher: “Mulheres no Associativismo Popular”

Conforme documento da Comissão Europeia (2020) “Estratégia para a Igualdade de Género 2020-2025” que tem como objetivo construir uma Europa em que a igualdade de género seja concretizada até 2025 e em que a violência de género, a discriminação sexual e a desigualdade estrutural entre mulheres e homens sejam uma coisa do passado.

- PUB -

Uma Europa em que mulheres e homens, raparigas e rapazes, em toda a sua diversidade, sejam iguais e livres de seguir o caminho de vida que escolheram, tenham as mesmas oportunidades de realizarem o seu potencial e possam participar na nossa sociedade europeia e dirigi-la, em igualdade de circunstâncias.

São ainda muito poucas as mulheres que ocupam cargos de direção tanto na política, como no associativismo, como em agências governamentais, para uma boa liderança, a presença tanto de mulheres como de homens é fundamental. É necessária uma liderança inclusiva e diversificada para resolver os complexos desafios que os decisores enfrentam atualmente.

Permitir que cidadãos de todas as origens participem de forma significativa na sociedade é uma condição prévia necessária para o bom funcionamento da democracia e conduz a uma elaboração de políticas mais eficazes.

- PUB -

A igualdade de oportunidades na participação é essencial para a democracia representativa a todos os níveis europeu, nacional, regional e local.

Para Tocqueville, o associativismo é fundamental para uma melhor organização das sociedades democráticas, uma vez que alia liberdade e igualdade.

Numa sociedade tradicionalmente patriarcal em que a divisão dos papéis entre homens e mulheres ainda é marcada por estereótipos sexistas, existe a necessidade de compreender como as questões de género, e de classe interferem e interagem com a condição da mulher dirigente associativa, assim como as que colaboram e participam ativamente com as coletividades do bairro onde estão inseridas, mas que não tiveram coragem, ou porque não lhes deram a oportunidade de fazer parte de uma direção.

- PUB -

Promover a igualdade de género, valorizar o papel das mulheres no movimento associativo popular, destacando a sua participação cívica, o seu contributo para a sociedade, para as populações e as comunidades locais, é urgente e necessário.

As questões de género, não podem continuar a ser entendidas somente como questões sociais ou de direitos. A verdadeira mudança passa por integrar a perspetiva de género enquanto estratégia e fator essencial para o desenvolvimento económico em prol de uma melhor sociedade.

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

Pinhalnovense sem jogadores para jogar fez falta de comparência

A 12.ª jornada do Campeonato de Portugal ficou marcada pela falta de comparência do Pinhalnovense no jogo que deveria disputar em casa com o...

Vereador diz que cães vadios fogem com crânios na boca e acusa PS de tratar mal os vivos e pior os mortos

João Afonso volta a criticar serviço nos cemitérios. Autarca do PSD denuncia ossadas lavadas em tanques da roupa e colocadas em caixas de fruta a secar. Nuno Canta diz que é fantasia

Pinhalnovense não tem jogadores para ir a jogo no próximo domingo

No Campeonato de Portugal a situação está muito complicada para os clubes da região porque o Barreirense está numa posição delicada na tabela classificativa...
- PUB -