9 Agosto 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioOpiniãoTributo a Adriano Correia de Oliveira

Tributo a Adriano Correia de Oliveira

Tributo a José Afonso foi o tema de um suplemento do Avante! de 23 de Fevereiro de 2012, onde foi recordação a de alguém que o ouviu exclamar, ao subir ao Palco da Festa do Avante! de 1980, no Alto da Ajuda:

- PUB -

   – «Nunca vi uma coisa assim!…»

Valia o que valia, mas o Avante! reproduzia a foto desse enorme palco, tendo como fundo a Ponte 25 de Abril e a Margem Esquerda almadense, onde ele actuou ladeado por Carlos Paredes, Sérgio Godinho, Júlio Pereira, Adriano Correia de Oliveira, Janita Salomé, Henri Tabot, Guilherme Inês, sem dúvida com mais alguns e certo, certo, também no palco, com o seu filho Pedro, então com 11 anos, que haveria de não estar calado.

Sobre ele ainda e em particular Setúbal, página abaixo relatava-se: «Foi um dos fundadores e animadores do Círculo Cultural de Setúbal, como é sabido.

- PUB -

«Mas um dos locais privilegiados da sua actuação, assim como de muitos outros cantores e fadistas amadores, catedral da “conspiração” comunista, era a “Academia Sapec”, a taberna do nosso militante Jerónimo Bárbara, o “Sapec”, aberta há 43 anos, e que hoje, desde o seu falecimento, é o Restaurante “O Egas”, mantendo persistentemente todos os domingos uma noite de fado.

«Não é por acaso que “O Egas” é fiel depositário de uma fidedigna reprodução do Avante! nº 48, de Agosto de 1937 (mil novecentos e trinta e sete), onde há um texto “O FADO E O FASCISMO”. Curiosamente, na noite de 15 de Fevereiro passado, quando o Avante! perfazia 81 anos, a neta do Sapec, Carolina, lia entre acordes “A morte saiu à rua”, grito de José Afonso contra o assassinato de José Dias Coelho, a 19 de Dezembro de 1961».

Mas nestas páginas Adriano Correia de Oliveira é sem falta também figura central. Narra-se a noite de 11 de Novembro de 1967, no Luso Futebol Clube do Barreiro, «memorável espectáculo da iniciativa do Cine-Clube do Barreiro e da Comissão Cultural do Luso, momento em que a casa cheia tomava em mãos a procura da liberdade que o poder fascista nos negava».

- PUB -

Entre a multidão estava Adriano, mas então militar. Os chamamentos ao palco («Adriano, Adriano…») caíram sobre ele que se conteve, e logo o sentido de responsabilidade por todos foi ali compreensivelmente assumido – o da salvaguarda de um daqueles que viria a fazer o 25 de Abril, Militar de Abril já, entenda-se -, mas dedicando-lhe todas as atenções ao som dos «Vampiros» e das outras armas de luta do rol do cancioneiro.

A Associação Conquistas da Revolução e a Câmara Municipal do Barreiro promovem novo Tributo a Adriano na tarde de domingo, 9 de Abril, no Auditório Municipal Augusto Cabrita (AMAC). Quando faz 75 anos que nasceu, quando faz 75 anos.

Comentários

Valdemar Santos
Militante do PCP
- PUB -

Mais populares

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -