23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Hospitais da península de Setúbal continuam com urgências pediátricas e de maternidade fechadas alguns dias

Hospitais da península de Setúbal continuam com urgências pediátricas e de maternidade fechadas alguns dias

Hospitais da península de Setúbal continuam com urgências pediátricas e de maternidade fechadas alguns dias

Neste mês de Abril, nos hospitais de Setúbal e do Barreiro estas urgências vão estar abertas apenas semana sim/semana não e no Garcia de Orta continuarão fechadas ao fim-de-semana

 

As urgências de pediatria e de ginecologia/obstectrícia no distrito de Setúbal vão continuar a funcionar, até ao final deste mês, com constrangimentos de horários, anunciou esta quarta-feira a Direcção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS).

- PUB -

A região de Setúbal passa assim, no conjunto do País, a ser a que tem mais serviços de urgências destas duas especialidades sujeitas a encerramentos devido a falta de médicos.

De acordo com a decisão assinada pelo director executivo do Serviço Nacional de Saúde (SNS), Fernando Araújo, das 43 urgências de ginecologia e obstetrícia no país, 28 vão funcionar até final de Abril de forma contínua, duas vão atender apenas doentes referenciados e oito terão dias de pausa devido à falta de médicos, segundo dados oficiais.

No distrito de Setúbal, de forma intercalada (semana sim/semana não) funcionarão as urgências de ginecologia/obstetrícia de ULS Arrábida (Setúbal) e do Arco Ribeirinho (Barreiro), enquanto as das ULS Almada (Seixal) estarão sempre fechadas ao fim de semana. A Unidade Local do Alentejo Litoral não tem serviços de urgência nestas duas especialidades.

- PUB -

No Alentejo, as três unidades (Portalegre, Évora e Beja) que têm estes serviços estarão sempre abertas e no Algarve as urgências de ginecologia/obstetrícia estarão sempre a funcionar em pelo menos um dos polos (Faro/Portimão).

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, a mais complicada em termos de preenchimento de escalas, apenas três urgências estarão a funcionar de forma ininterrupta, duas terão atendimento referenciado – atendendo apenas utentes encaminhados por outras estruturas – e sete terão dias de pausa. A resposta terá ainda uma urgência de ginecologia e contará com três unidades do sector privado para complementar a resposta.

 

- PUB -

Urgências sempre abertas a norte do Tejo

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, estarão a funcionar de forma ininterrupta as ULS Loures, Santa Maria, Cascais, São José e três maternidades do sector privado, em regime de funcionamento complementar e com a orientação de grávidas a ser feita pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU)/INEM.

No que se refere às maternidades do sector privado na região de Lisboa e Vale do Tejo com convenção com o Serviço Nacional de Saúde (SNS), a DE-SNS sublinha que o CODU/INEM poderá orientar para estas unidades grávidas em trabalho de parto, com mais de 36 semanas de gestação, “sempre que a capacidade instalada do SNS esteja preenchida”.

As ULS de Lisboa Ocidental e Amadora/Sintra apenas receberão durante a noite grávidas enviadas pelo INEM ou SNS 24. Este esquema de referenciação mantém-se na ULS Amadora/Sintra durante todos os fins de semana do mês de Abril.

Na região Norte todas as 13 urgências de ginecologia/obstetrícia estarão a funcionar de forma ininterrupta.

Na região Centro, haverá sete maternidades a funcionar de forma ininterrupta, uma com dias de pausa e uma terá a funcionar a urgência de ginecologia. No Algarve pelo menos um dos dois pólos (Faro/Portimão) estará sempre aberto.

A DE-SNS só vai fazer alterações ao funcionamento das urgências de ginecologia/obstetrícia a partir de Maio.

A Direcção Executiva faz uma “avaliação favorável” do desempenho da Operação ‘Nascer em Segurança no Serviço Nacional de Saúde’ nos últimos 16 meses e diz que os resultados deste plano estratégico “serão avaliados continuamente”.

Na nota que acompanha o mapa das urgências de ginecologia/obstetrícia para o mês de Abril, a DE-SNS indica que os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) devem adequar a resposta do SNS 24, “mantendo temporariamente o encaminhamento das situações de patologia ginecológica para o serviço de urgência de ginecologia da ULS Santa Maria” e “actualizar os procedimentos do SNS 24 de forma a assegurar a adequada pré-triagem das grávidas para os blocos de parto referenciados”.

Pediatria: Obrigação de ligar para Saúde 24 antes de ir às urgências alargada a mais hospitais

O esquema de funcionamento das urgências pediátricas noturnas no Hospital Amadora/Sintra, que apenas aceita crianças encaminhadas pelo INEM ou pelo SNS24, vai ser alargado a outras unidades, anunciou também a Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS).

A Direção Executiva diz que a experiência de urgência referenciada realizada no primeiro trimestre teve um “impacto positivo nos utentes, famílias e equipas de profissionais” e “deverá ser alargada a outras instituições do SNS”, embora não adiante qualquer informação que permita saber se esse regime virá a ser aplicado a hospitais da região de Setúbal.

Das cinco urgências mais afetadas pela falta de profissionais de saúde em Lisboa e Vale do Tejo, três são da península de setúbal, designadamente a do Hospital Garcia de Orta, que fecha sempre à noite, e as dos hospitais de Setúbal e do Barreiro, que estarão fechadas em semanas alternadas entre quinta-feira e domingo.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -