1 Fevereiro 2023, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalMontijoFogo que consumiu habitação junto ao hospital já foi dado como extinto

Fogo que consumiu habitação junto ao hospital já foi dado como extinto

Informação foi avançada por Pedro Ferreira, comandante dos bombeiros do Montijo. Avó da bebé salva pelo próprio pai foi transferida para S. José com queimaduras graves

O fogo que deflagrou esta tarde numa habitação junto ao Hospital do Montijo e que provocou quatro feridos foi dado como “extinto ainda antes das 20 horas”. A informação foi avançada a O SETUBALENSE por Pedro Ferreira, comandante da corporação montijense dos bombeiros.

- PUB -

Segundo Pedro Ferreira, uma mulher de 60 anos que se “atirou do 2.° piso” em desespero é a vítima que inspira maiores cuidados médicos. “O estado clínico da senhora é considerado grave. Principalmente pelas queimaduras no corpo. Foi transferida para o Hospital de S. José, em Lisboa”, disse.

As outras três vítimas — uma bebé, neta da sexagenária internada em S. José, um agente da PSP e um bombeiro da corporação do Montijo — sofreram ferimentos ligeiros, “por inalação de fumo”.

A menina, com cerca de dois anos e meio, e o bombeiro foram “transportados para o Hospital do Barreiro” para receberem assistência médica. Já o agente da PSP “foi assistido no Hospital do Montijo e já teve alta”, adiantou o comandante da unidade montijense.

- PUB -

A bebé foi salva pelo próprio pai, que subiu as escadas instaladas em cima de um dos carros dos bombeiros e trepou às águas furtadas da habitação para resgatar a criança.

Pedro Ferreira reconheceu que o homem foi heróico e explicou por que não foram os bombeiros a avançar para recuperar a criança.

“Compreendemos a aflição do pai. Graças a Deus que correu bem. Mas antes tinham de ser garantidas as condições de segurança para que pudesse ser efectuado o resgate e não se correr o risco de em vez de termos uma vítima termos duas.”

- PUB -

No rescaldo da operação, o Comandante dos Bombeiros adiantou ainda que “o edifício, no n.° 12 da Rua Machado dos Santos, ficou sem condições de habitabilidade”. “As águas furtadas foram destruídas e o 1.° piso ficou sem condições, o tecto apresenta perigo de derrocada. Os edifícios contíguos não foram afectados”, revelou.

Três adultos e quatro crianças que habitavam no edifício foram realojados na Casa Europa, apurou O SETUBALENSE junto do presidente da Junta da União das Freguesias de Montijo e Afonsoeiro.

No combate às chamas estiveram envolvidas as corporações dos bombeiros de Montijo e Alcochete. A ocorrência motivou ainda a mobilização para o local de duas ambulâncias do INEM e de elementos da PSP e da Protecção Civil.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Novo 10 de portas fechadas após polémica que envolve dívida de 700 mil euros

Empresário apresentou proposta ‘promissora’, que acabou por deixar proprietário do espaço de mãos a abanar

Autoeuropa anuncia unidade 1 milhão do T-Roc que vai rodar noutro continente

Número redondo foi anunciado pela direcção da fábrica de Palmela. Automóvel já tem destino traçado

O sangue e o oxigénio dos Tribunais

Ninguém duvida que os oficiais de justiça são essenciais para a Administração da Justiça.
- PUB -