19 Agosto 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioLocalSeixalProtesto em fragata avança no Tejo contra a construção do novo aeroporto...

Protesto em fragata avança no Tejo contra a construção do novo aeroporto no Montijo

A viagem de barco até à Base Aérea 6 contou com a presença de especialistas que dão preferência à construção em Alcochete

- PUB -

 

“Uma imagem vale mais do que mil palavras” foi o mote do passeio fluvial levado a cabo pela associação ‘Plataforma Cívica Aeroporto BA6 Montijo-Não!”, no passado domingo, que convidou os visitantes a bordo da fragata ‘Baía do Seixal’ a ver de perto as instalações da Base Aérea 6, que tem sido apontada, pelo Governo, como possibilidade para construir o novo aeroporto de Lisboa.

Entre os passageiros, abordo seguiu também Joaquim Santos, presidente da Câmara do Seixal, que recusa a opção Montijo, a qual considera que colocaria em causa a qualidade de vida das populações da margem sul.

- PUB -

“É uma forma de protesto”, afirma José Encarnação, membro da associação responsável pela iniciativa. “Não basta dizermos porque não se deve construir o aeroporto no Montijo. É preciso que as pessoas vejam com os próprios olhos”.

Com partida do Cais Fluvial do Seixal e destino ao Samouco, ao longo de três horas de viagem reflectiu-se acerca das consequências para a população e do futuro das embarcações tradicionais que circulam pelo canal do Montijo caso o aeroporto complementar ao Humberto Delgado, na Portela, seja edificado no município.

“Diz-se que é fácil fazer aqui um aeroporto porque é só adaptar o que já existe. Aqui não existe nenhum aeroporto, existe uma base aérea”, explica Vítor Silveira, piloto da Linha Aérea. “A única coisa que tem parecida com um aeroporto é a torre de controlo e as pistas e como se sabe as pistas não servem, têm de ser reconstruídas e a torre é baixa de mais”.

- PUB -

Paulo Andrade, presidente da Marinha do Tejo, juntou-se ao protesto no seu próprio bote e fez questão de defender os interesses do “berço da maior parte das embarcações”: o canal do Montijo.

“Durante anos, o canal do Montijo serviu para abastecer a cidade. Fechar este canal de navegação a embarcações com um mastro superior a 14,5 metros não faz qualquer sentido. Temos embarcações centenárias que vão deixar de poder navegar”, garante.

Também Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal, fez questão de estar presente e reforçar a preferência pela construção do novo aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete.

“No Seixal vamos continuar a colocar o interesse das populações à frente do que são os interesses particulares”, começou por dizer o responsável. “Construir uma pista no Montijo significa que vamos ter aeroporto da Portela e esta pista até ao ano de 2062. Isto vai afectar as mais de 100 mil pessoas que continuam a ser afectadas pela operação da Portela quer toda a população da margem sul que não tinha esses impactos”, salientou.

Perante os presentes, os membros da Plataforma Cívica afirmaram que não desistem da solução Campo de Tiro de Alcochete, e garantem continuar a rumar para que tal aconteça.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Mulher morre em colisão entre dois veículos em Grândola

Uma colisão frontal entre dois veículos ligeiros na Estrada Nacional 261, no cruzamento do Carvalhal, provocou, esta tarde, um morto e dois feridos graves.

Ana Catarina Gonçalves: A grandolense que arriscou e conseguiu montar um ‘império’ na vertente das explicações

Com apenas 21 anos, começou a acompanhar algumas crianças por brincadeira. Hoje, passados cinco anos, emprega três dezenas de professores

Acidente de viação no Montijo provoca três mortos

Colisão frontal provocou a morte de dois homens, de 26 e 32 anos, e de uma mulher, de 24 anos
- PUB -