9 Agosto 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioÚltimasDesacordo sobre aeroporto faz cair Pedro Nuno Santos

Desacordo sobre aeroporto faz cair Pedro Nuno Santos

António Costa revogou despacho assinado pelo ministério e reafirmou que quer consenso com a oposição. PSD, CDS-PP, BE, CHEGA, IL, PAN e PEV exigem saída do ministro das Infra-estruturas

 

- PUB -

De acordo com o jornal O PÚBLICO, se Pedro Nuno Santos não se demitir será demitido pelo primeiro-ministro. Esta decisão chega após António Costa determinar hoje a revogação do despacho publicado na passada quarta-feira sobre a solução aeroportuária para a região de Lisboa.

“O primeiro-ministro determinou ao Ministério das Infra-estruturas e da Habitação a revogação do despacho ontem [quarta-feira] publicado sobre o novo aeroporto da região de Lisboa”, lê-se num comunicado hoje divulgado pelo gabinete de António Costa.

No comunicado, o primeiro-ministro “reafirma que a solução tem de ser negociada e consensualizada com a oposição, em particular com o principal partido da oposição e, em circunstância alguma, sem a devida informação previa ao Presidente da República”.

- PUB -

Oposição pede saída Pedro Nuno Santos

O CDS-PP pediu hoje a demissão do ministro das Infraestruturas e da Habitação, depois de o primeiro-ministro ter determinado a revogação do despacho publicado na quarta-feira sobre a solução aeroportuária para a região de Lisboa. Nuno Melo considerou que “um ministro que deixou de o ser, mesmo que decida ficar, tem de se demitir”.

Defendendo que este é “um Governo em roda livre”, o presidente do CDS-PP e eurodeputado do partido considerou que este é um “exemplo da forma ligeira e incompetente com que o PS no Governo decide politicamente em Portugal”.

- PUB -

O presidente do PSD, Rui Rio, afirmou também que o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, “não tem condições” para continuar no Governo e considerou que, se o primeiro-ministro não o demitir, o Presidente da República deve intervir.

“É claro para mim que o ministro não tem condições para estar no Governo (…) Se o primeiro-ministro assobiar para o ar e tentar que tudo continue na mesma, acho que o Presidente da República numa situação destas deve ter uma intervenção”, afirmou o presidente do PSD, considerando que o que se passou “é algo de quase inédito”.

O PEV considerou que esta decisão deixa claro que não existe coordenação relativamente ao aeroporto. “Demonstram o total desnorte do Governo em relação a esta estrutura aeroportuária e ao seu processo”, consideraram em comunicado oficial.

A porta-voz do PAN considerou hoje que o recuo na solução Montijo/Alcochete proposta para o novo aeroporto de Lisboa é “uma decisão sensata” e que cabe ao primeiro-ministro esclarecer se mantém a confiança no ministro das Infraestruturas.

“A decisão de travar este despacho é uma decisão sensata, ajuizada. Devemos aguardar pela avaliação ambiental estratégica para precisamente percebermos qual a melhor solução para o país”, sustentou Inês Sousa Real, em declarações nos Passos Perdidos do parlamento.

O presidente da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, considerou hoje que “há zero condições” para Pedro Nuno Santos continuar como ministro depois da desautorização do primeiro-ministro sobre a solução aeroportuária, apontando sinais de desagregação e confusão no Governo.

O líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, exigiu hoje que o primeiro-ministro fale ao país sobre a situação do aeroporto, considerando que há “um desgoverno do governo” de António Costa.

“Exigimos que o primeiro-ministro fale ao país sobre esta situação e que assuma as responsabilidades sobre o desnorte que está a ser o governo neste momento”, afirmou.

Com Lusa

Comentários

- PUB -

Mais populares

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -