1 Agosto 2021, Domingo
- PUB -
Início Local Palmela Central solar de 200 milhões deixa Palmela na linha da frente no...

Central solar de 200 milhões deixa Palmela na linha da frente no pacto de autarcas

Município já ultrapassou as metas definidas para a redução da pegada de carbono. LOGZ avança com investimento. Protocolo assinado ontem com a autarquia

 

- PUB -

Quando ontem Álvaro Balseiro Amaro colocou o preto no branco já sabia que o município de Palmela estava a colocar-se muito à frente no cumprimento das metas estabelecidas no pacto (internacional) de autarcas, em matéria de clima e energia, para redução da pegada carbónica. A autarquia acabava de celebrar com a LOGZ – Atlantic Hub, na Biblioteca de Palmela, um protocolo de cooperação para mais um investimento “verde” de monta no concelho: superior a 200 milhões de euros. A construção da Central Solar Fotovoltaica de Rio Frio deverá permitir reduzir, pelo menos, a emissão directa de cerca de 133 mil e 650 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano.

“Este é mais um investimento que se insere na estratégia de combate às alterações climáticas, na qual o município tem estado muito empenhado, tirando partido das condições do território do concelho para contribuir para a estratégia nacional e para o plano municipal de energia sustentável”, disse o presidente da autarquia palmelense, Álvaro Amaro, a O SETUBALENSE, poucas horas antes de rubricar o acordo com a LOGZ. A instalar numa parte dos terrenos da Plataforma Logística do Poceirão – que “ficará ainda com muitos hectares de área disponíveis”, adiantou o autarca –, o futuro equipamento ocupará aproximadamente 133 hectares e será composto por 614,016 módulos solares fotovoltaicos de 440 Wp (watt-pico), estimando-se que apresente uma potência máxima de injecção na rede de 200 MVA (megavolt-ampère). E a produção anual prevista é de 472,500 MWh (megawatt-hora), o equivalente a 1 750 horas de produção por ano.

“Com mais este investimento ultrapassamos em muito as metas do pacto [internacional] de autarcas [em matéria de clima e energia], para redução da pegada de carbono”, realçou o autarca, que lembrou ainda que este parque solar, à imagem de outros igualmente já garantidos para o concelho, permite salvaguardar questões relacionadas com vertentes paisagísticas, por ter aproveitamento de plantação do solo.

- PUB -

Contrapartidas e criação de emprego

Além do desenvolvimento empresarial, a criação de emprego é outra das vantagens, já que, segundo Álvaro Amaro, o investimento “aponta para a contratação local”. Desde logo, prevê-se a contratação de “umas dezenas largas na área da construção” bem como para “a manutenção do espaço”, embora neste último caso “em número mais reduzido”.

A estas vantagens juntam-se ainda as contrapartidas exigidas pelo município, como a pavimentação de várias vias que estão em terra batida, no acesso e na envolvente ao futuro equipamento. “As ruas do Caramelo e do Bocage” são, entre outras, vias contempladas, que vão começar a ser asfaltadas dentro de um ano, ou seja “a contar da data de assinatura do protocolo [ontem]”, destacou o edil. A autarquia vai ainda receber, no âmbito do protocolo, 10 carregadores para automóveis eléctricos.

- PUB -

O início da exploração da central solar fotovoltaica está previsto para o primeiro semestre de 2024, sendo que até lá são necessários alguns licenciamentos a atribuir pelas entidades competentes.

O projecto resulta da parceria entre o Grupo Mota-Engil, através da sua participada LOGZ – Atlantic Hub, e o Grupo EcoDev, sediado no Reino Unido.

Em Junho último, a autarquia já havia promovido a apresentação de outras três centrais fotovoltaicas – em Algeruz, Poceirão e Pinhal Novo – a construir pela empresa suíça Smartenergy, num investimento de mais de 83 milhões de euros. Dias antes havia sido também lançada a primeira pedra da Central Fotovoltaica da Quinta do Anjo, que ascende a 35 milhões de euros, da responsabilidade da NextEnergy Capital.

- PUB -

Mais populares

Moradores na Quinta da Amizade contestam fogos municipais, mas vereador Carlos Rabaçal promete valorização

Na calha pode estar a construção de 268 fogos. Os residentes temem densidade populacional e perderem conforto   Os moradores na Quinta da Amizade, na freguesia...

“Quero fazer esta época o jogo de despedida para depois assumir o cargo de treinador”

“Não me ofereço aos clubes e não peço favores a ninguém, se tiver que treinar será onde me queiram e onde acreditem em mim”, refere Paulo Catarino

Península de Setúbal com mais 29 mil pessoas e Litoral Alentejano perde pouco em dez anos

Censos de 2021 indicam que Palmela é o concelho da península que registou maior aumento da população residente. Odemira é o que mais cresce...
- PUB -