2 Dezembro 2021, Quinta-feira
- PUB -
InícioLocalSetúbalUnião de sindicatos de Setúbal acusa Carl-Zeiss de ameaçar funcionários

União de sindicatos de Setúbal acusa Carl-Zeiss de ameaçar funcionários

Estrutura sindical da CGTP-IN diz que a empresa ameaçou trabalhadores com processos disciplinares caso falem à Imprensa

 

- PUB -

A Comissão Executiva da União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN acusa a administração da Carl-Zeiss de tentar intimidar os trabalhadores, face à greve prevista ocorrer entre amanhã, 31, e 4 de Janeiro.

“Em comunicado dirigido hoje [quarta-feira] aos trabalhadores, a empresa tenta intimidá-los e silenciar a sua luta, pois ao ameaçar com processo disciplinar quem fale à Imprensa sobre a Carl-Zeiss e as razões da greve, achando que a greve é lesiva da imagem e do bom nome da empresa, está a procurar impor a lei da rolha e a silenciar a justa luta e reivindicação dos trabalhadores”, acaba de revelar, em comunicado, a estrutura sindical.

“O que se impõe é que a empresa deixe de emitir comunicados com cariz intimidatório e corresponde às reivindicações dos trabalhadores, evitando assim o recurso à greve”, adianta União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN.

- PUB -

A estrutura sindical lembra que na origem da greve está “a reivindicação de aumentos salariais e a alteração de horários para o regime de laboração contínua”.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -