28 Novembro 2021, Domingo
- PUB -
InícioLocalSetúbalTAS apresenta “Tantos Ontens” para celebrar 45 anos de actividade

TAS apresenta “Tantos Ontens” para celebrar 45 anos de actividade

Crónicas de António Lobo Antunes sobem a palco sexta-feira, às 21h00, no Teatro de Bolso

 

- PUB -

O Teatro Animação de Setúbal assinala o seu 45º aniversário, celebrado a 26 de Dezembro, com “Tantos Ontens | O Mundo Como Vontade e Representação”, peça criada a partir das Crónicas de António Lobo Antunes. A estrear esta sexta-feira, dia 18, pelas 21h00, no Teatro de Bolso, a peça repete no sábado à mesma hora, no domingo às 16h00 e volta em Janeiro, de 8 a 24, com horários ainda sob consulta.

“Já tinha esta ideia há alguns anos. Fazia a recolha de crónicas de António Lobo Antunes publicadas na imprensa, além de ter lido quase tudo o que está publicado do mesmo autor. O Miguel Assis também já tinha trabalhado uma delas, com ideia de apresentar. Desta conjugação, e no contexto actual, em que impera a distância social, pensámos que os monólogos seriam o tipo de teatro mais adequado”, começa por contar Célia David, directora e actriz da companhia de teatro setubalense, a O SETUBALENSE. “Tantos Ontens” é o título de uma crónica “que nos remete para o passado. São memórias, recordações de anos e épocas mais antigas. Como o TAS completa 45 anos de existência este Dezembro, este espectáculo serve de celebração dessa memória, desse passado, que são os nossos ‘ontens’ e não são poucos”, adianta.

Naquela que é a 138ª produção do Teatro de Bolso, sobem a palco Célia David, Duarte Victor, Miguel Assis e Susana Dagaf. A escolha recaiu sobre os textos cujas personagens são “pessoas do dia-a-dia, mas com uma estrutura literária e uma abordagem de autor extraordinárias e que se adaptassem ao elenco actual do TAS”. O público, por sua vez, “poder-se-á rever nas personagens, uma vez que a peça é bastante transversal. Aqui ou ali há-de haver um reconhecimento próprio ou de alguém que se conhece ou se ouviu falar”. A companhia de teatro setubalense espera, com esta peça, trazer “diversão e distracção dos problemas, das ansiedades do momento, mais que não seja através do olhar (d)os outros”. Célia David refere ainda que “a maioria das crónicas são escritas na primeira pessoa, o próprio autor. Estas, porém, são das poucas em que isso não acontece. São mesmo personagens” e que “António Lobo Antunes é um escritor que merece ser divulgado e mais conhecido dos jovens e do grande público. Essa é igualmente a nossa missão”.

“A cultura sofre mais porque já sofria antes”

- PUB -

Na adaptação aos novos tempos, o TAS junta-se ao lema difundido a nível nacional “A cultura é segura” e garante que “todas as normas da Direcção-Geral de Saúde são cumpridas. Na compra do bilhete é fornecido um toalhete desinfectante. A sala do está higienizada, o uso de máscara é obrigatório e existe a devida distância entre as cadeiras. O espaço é pequeno e a lotação fica muito limitada mas não há outra solução para já”.

A directora da companhia de teatro setubalense partilha ainda que “temos sido sempre pessoas que se adaptam, temos resistido às sucessivas crises, estamos sempre em luta. Infelizmente não sabemos o que é trabalhar com estabilidade, por uma razão ou outra”. Neste

momento, as dificuldades são transversais, apesar de considerar que existem sectores mais afectados que outros: “a cultura sofre mais porque já sofria antes. Não nos podemos esquecer que esta pandemia revelou muito do que já existia, agravando a situação dos mais carentes”.

- PUB -

Apresentações em streaming levam teatro às escolas em 2021

O TAS tem realizado apresentações de alguns dos seus espectáculos em streaming, de modo a “levar o teatro às pessoas, agora que muitas não podem ou não devem sair de casa”. Em 2021, pretende usar essa mesma plataforma com as escolas. “Crianças e professores têm sido muito prejudicados com esta necessidade não satisfeita ao longo de um ano lectivo em que tiveram que criar alternativas às aulas presenciais”, explica Célia David. “É óbvia a necessidade de manter viva a arte e a cultura, aqui e em toda a parte. Em Setúbal, como em outras regiões do país, há obra feita e resultados inequívocos da importância do nosso trabalho”, continua, rematando que “são imensas as vertentes da nossa intervenção no espaço que ocupamos. Trata-se sobretudo de consciência crítica, responsabilidade e sentido ético da nossa postura na sociedade. É assim que se deve fazer arte”.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Área Metropolitana de Lisboa assegura transporte rodovidário sadino até chegada da Carris Metropolitana

É necessário "dar continuidade às Autorizações Provisórias até a entrada do novo operador, de forma a evitar a ruptura dos serviços públicos de transporte rodoviário de passageiros no concelho de Setúbal"

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -