19 Maio 2024, Domingo

- PUB -
Primeiro ano de projecto europeu sobre alterações climáticas avaliado em Setúbal

Primeiro ano de projecto europeu sobre alterações climáticas avaliado em Setúbal

Primeiro ano de projecto europeu sobre alterações climáticas avaliado em Setúbal

Município sadino é o único português a participar no projecto. Equipas multidisciplinares fazem ponto de situação do trabalho

 

O primeiro ano de trabalho do projecto europeu de resiliência climática “CLIMAAX” está a ser avaliado em Setúbal. O município-piloto desta iniciativa, que está a decorrer na cidade até amanhã, é o único representante português do projecto.

Iniciado na tarde de domingo, na Sala de Sessões dos Paços do Conselho, este encontro técnico-científico reúne diferentes equipas multidisciplinares, que estão a fazer um ponto de situação do trabalho até agora realizado no âmbito da estrutura do projecto e do desenvolvimento das ferramentas de trabalho.

A assembleia-geral deste projecto, lançado em Janeiro de 2023 em Delft, Países Baixos, no âmbito da Missão de Adaptação às Alterações Climáticas da União Europeia, está a decorrer na cidade de Setúbal, que além de ser o único português a participar, é um dos cinco municípios europeus envolvidos na iniciativa.

Cristina Coelho,  chefe do Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável e Emergência Ambiental na Câmara Municipal de Setúbal, deu no domingo as boas-vindas aos participantes e “realçou algumas das características” do território setubalense, o qual, cerca de “sessenta por cento integra áreas protegidas”.

Neste encontro sadino, no qual as equipas também participaram em reuniões de trabalho com vista ao desenvolvimento do projecto, participaram ainda o coordenador-geral do CLIMAAX, Bart van den Hurk, assim como a conselheira sénior Frederiek Sperna Weiland.

Em nota de Imprensa, a autarquia setubalense explica que este projecto “procura desenvolver um novo conjunto de ferramentas e serviços, com prioridade ao desenvolvimento da acessibilidade, orientação, sintonia com os contextos locais, interpretação e aceitação pelas autoridades representativas da gestão do risco de desastres e da protecção civil”.

Baseado em estruturas, métodos e ferramentas de avaliação de risco existentes, o CLIMAAX promove o “uso de conjuntos de dados e plataformas de serviços para implantação em escala local e regional, apoiado por um quadro robusto e coordenado de avaliações de risco consistentes, harmonizadas e comparáveis”.

A edilidade sadina esclarece ainda que, no âmbito do CLIMAAX, o município setubalense pode ter acesso a “recursos financeiros e analíticos e apoio prático” para “desenvolver e melhorar o plano regional de riscos climáticos e de emergência”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -