6 Outubro 2022, Quinta-feira
- PUB -
InícioSociedadePortugal e Brasil promovem jornalismo com exposição dos jornais centenários dos dois...

Portugal e Brasil promovem jornalismo com exposição dos jornais centenários dos dois países

O Setubalense é um dos 56 títulos com mais de 100 anos patentes na mostra inaugurada este domingo em Alcáçovas

 

- PUB -

This slideshow requires JavaScript.

O Paço dos Henriques, em Alcáçovas, concelho de Viana do Alentejo, perto de Évora, tem patente desde domingo uma exposição dos 56 jornais centenários de Portugal e do Brasil, numa iniciativa conjunta das associações de imprensa de Portugal e de Pernambuco, que pretende destacar a “importância e o papel do jornalismo”.

A mostra foi inaugurada com visitas guiadas a quatro grupos de dezenas de pessoas, numa cerimónia que contou com a presença do presidente da Câmara de Viana do Alentejo, Luís Miguel Duarte, da Associação Portuguesa e Imprensa (API), João Palmeiro, e da Associação de Imprensa de Pernambuco (AIP), Múcio Aguiar Neto.

- PUB -

Entre os jornais mais antigos, como o Diário de Pernambuco (1825) e o Açoriano Oriental (1825), está também O SETUBALENSE (fundado a 1 de Julho de 1855). Apesar de o nosso jornal contar já 167 anos de idade – o que o torna o mais antigo de Portugal continental, à frente do Aurora do Lima, fundado no mesmo ano de 1855, mas cinco meses mais tarde, a 15 de Dezembro – a exposição considera apenas 103 anos, por a publicação ter sido interrompida no período anterior a 2 de Janeiro de 1919.

Ainda assim, O SETUBALENSE esteve em destaque no palco da apresentação da exposição, com um cartaz que reproduz a capa desse número do início do século XX, em que o jornal era diário da noite.

A exposição é acompanhada por fotografias de António Homem Cardoso a grandes vultos da cultura portuguesa num arranque da instalação do acervo deste mestre da fotografia que será reunido em Alcáçovas a partir de 2023, no futuro Museu Galeria do Retrato Fotográfico Português.

- PUB -

Sobre os jornais centenários que fazem a história do jornalismo em Portugal e no Brasil, o presidente da Associação Portuguesa de Imprensa diz que são árvores que permanecem de pé.

“Cada uma destas árvores jornalísticas tem o seu sítio electrónico que permitirá continuar a defender nas redes digitais os princípios da informação editada e jornalística, verdadeira e interessante, acompanhando, assim, a evolução dos acessos à informação, lutando contra as notícias falsas”, sublinha João Palmeiro.

A mostra dos jornais com mais de 100 anos associa-se às comemorações dos 200 anos da independência do Brasil e insere-se num ciclo de exposições e conferencias, intitulado ‘Do deserto de notícias à floresta da memória” que vai decorrer nesta histórica vila alentejana até Setembro de 2025.

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

Primeira pedra de construção de empreendimento à beira-rio lançada no município do Barreiro

Novo espaço habitacional pretende atrair famílias locais e jovens a um preço razoável   O lançamento da primeira pedra de construção do novo empreendimento que vai nascer...

Colisão contra portagens na A2 em Coina causa vítima mortal

Viatura bateu contra os pórticos das portagens e acabou por se incendiar

Acidente de trabalho com um reboque faz um morto e um ferido

Vitimas estavam a trabalhar debaixo da estrutura que lhes caiu em cima
- PUB -