26 Setembro 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalSetúbalMákina de Cena traz ‘Tive 1 ideia para 1 dueto’ à cidade

Mákina de Cena traz ‘Tive 1 ideia para 1 dueto’ à cidade

Peça foi interpretada por Carolina Santos e Susana Nunes durante o Festival Internacional de Teatro

 

- PUB -

“Deixe-se levar pela nossa ausência de história e construa connosco o sig­ni­fi­cado do que vê” é o mote da peça ‘Tive 1 ideia para 1 dueto’. Com a interpretação das actrizes Carolina Santos e Susana Nunes, o enredo surge de uma adaptação bizarra ao estilo de Pina Bausch que pretende sensibilizar para temas como a pertinência na sociedade contemporânea.

Com uma cenografia excelente, que lembra Josev Svoboda e figurinos muito diferentes do habitual, esta é uma peça muito artística e educativa, onde as tedtalks animaram o público que encheu o Fórum Municipal Luísa Todi.

Segundo a sinopse no catálogo: “Para que nos en­ten­da­mos desde o prin­cí­pio, as frases mais bonitas destes textos li-as ou ouvi-as. Não as escrevi. É por isso que tenho na cara o riso largo dos que, ba­fe­ja­dos pela sorte, vivem con­tem­plando”.

- PUB -

Eis o ins­pi­rado prefácio de Marta Fi­guei­redo, Ten­ta­ti­vas para Matar o Amor, que des­po­le­tou o processo criativo de ‘Tive 1 ideia para 1 dueto’.

Bebemos de outras fontes. As­si­mi­lá­mos, trans­for­má­mos, copiámos…. Roubámos. Foi preciso, e com muito rigor. Sem pudor, re­co­lhe­mos excertos per­for­má­ti­cos, li­te­rá­rios e musicais, e repetimo-los até se fundirem connosco. Perdemo-nos, e en­con­trá­mos praticamente todo o resto no ime­di­a­tismo das pes­qui­sas online. Obrigada, Youtube, Google, Pin­te­rest, Vimeo, Facebook – vocês sabem porquê.

De forma an­ti­té­tica ao título, con­fes­sa­mos:

- PUB -

Todos os momentos deste es­pec­tá­culo já foram vistos ou lidos. Não são nossos.

Dis­clai­mer: o desafio para todos os in­ter­ve­ni­en­tes neste es­pec­tá­culo-ex­pe­ri­ên­cia – público, in­tér­pre­tes e, sim!, luz, som e vídeo – é o de aliar exer­cí­cios apa­ren­te­mente des­co­ne­xos, e criar/per­cep­ci­o­nar um objecto ar­tís­tico multi-sig­ni­fi­cante: que junta a recontextu­a­li­za­ção de sequên­cias per­for­ma­ti­vas já exis­ten­tes à re­a­li­dade presente, com inúmeras colagens e so­bre­po­si­ções es­té­ti­cas, num eixo dra­ma­túr­gico que, ainda que não sendo linear, se espera coerente.

Isto é: deixe-se levar pela nossa ausência de história e construa connosco o sig­ni­fi­cado do que vê.”

 

Co-criação e Interpretação: Carolina Santos e Susana Nunes; Co-criação, Direcção de Movimento: Pedro Filipe Mendes; Consultor de Movimento: Matilde Javier Ciria; Direcção Artística e Cenografia: Carolina Santos; Direcção Musical e Sonoplastia: Marco Martins; Músicos convidados: Alexandre Dahmen (Piano e improvisação); Bárbara Santos (Violoncelo); Temas: Nabucco / Act 3: Introduzione + Va, pensiero, sull’ali dorate, de Giuseppe Verdi, pela Orquestra da Deutsche Oper Berlin; Cello Suite No.3 iii-Courante de Bach, por Bárbara Santos; Criação Vídeo, Mapping e Fotografia de Cena: João Catarino; Figurinos: Ana Carina Inês; Coordenação Técnica e Desenho de Luz: Rui Simão; Operação Som e; Vídeo: Ramon Schneider; Comunicação: Patrícia Amaral; Apoio à Produção: Sandrine Crisóstomo; Produção: MdC Teatro / Mákina de Cena 2021; Parceiro Institucional: República Portuguesa – Ministério da Cultura; Financiamento: Ministério da Cultura – DGARTES, Câmara Municipal de Loulé; Apoio: Loulecópia

 

Observação de Teatro:

José Gil – Professor Adjunto de Teatro da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal Ator e Encenador

Maria Simas – Actriz do Teatro do Politécnico IPS e Mestranda

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos
- PUB -