1 Fevereiro 2023, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalSetúbalSetúbal ganha cada vez mais relevância no panorama nacional do mercado imobiliário

Setúbal ganha cada vez mais relevância no panorama nacional do mercado imobiliário

Proximidade com Lisboa e variedade de espaço nobres, combinada com os de lazer, aumentam cotação da região

Luís Bandadas

- PUB -

O Distrito de Setúbal está a ganhar pe­so no mercado imobiliário nacional. A afirmação é de Hugo Santos Ferreira, presidente da Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imo­biliários (APPII), como conclusão quando se lhe pede uma análise à realidade do sector na região. “Nos últimos anos tem vindo a ganhar muito mais relevância, prin­cipalmente pelo facto da imensida­de de inflação em Lisboa e também porque com a pandemia de covid-19, os portugueses começaram a valori­zar mais o espaço, varandas, quintais e o que é mais acessível na área de Setúbal”, diz, em entrevista a O SE­TUBALENSE.

Hugo Santos Ferreira destaca a resiliência do sector para enfrentar as dificuldades que tem enfrentado nos últimos anos. “O nosso sector tem enfrentado múltiplos desafios, muitos deles inesperados. Para além da pande­mia de covid-19 e o panorama de guerra que actualmente vivemos, o sector imobiliário ainda se debate com lutas antigas, como o proble­ma do licenciamento urbanístico e questões como o aumento expo­nencial do custo de construção, agravado altamente pela inflação que tem surgido. No entanto, des­tes problemas surgiram rápidas ca­pacidades de adaptação e inovação, mostrando que o sector é resiliente, com aptidão para contornar proble­mas e várias crises”.

Em seguida, lembra: “Não é de agora o facto de a oferta não conse­guir acompanhar a procura no sector imobiliário e, consequentemente, os preços do imobiliário em Portugal au­mentaram bastante”. Como se não bastasse, acrescenta, “os custos de construção estão a atingir valores inéditos. Os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística re­velam que os custos de construção da habitação nova subiram cerca de 12% entre Março de 2022 e o período homólogo. Mais chocante ainda é que entre 2019 e 2021, o aumento destes custos rondou os 27%”.

- PUB -

Este aumento exponencial jus­tifica-se, na sua opinião, por dois factores principais. “O primeiro é o aumento do custo de materiais, que começou a surgir no início na pandemia, que paralisou empresas e importações e exportações, e o con­texto de guerra na Europa também só veio agravar esta situação. A outra vertente que contribui para este au­mento de custos é que Portugal está actualmente a enfrentar uma crise de mão-de-obra”.

“Estima-se que faltem no nosso país cerca de 70 mil trabalhadores nas obras, ou seja, há obras que não conseguem começar, há obras que estão completamente paradas devi­do à falta de mão-de-obra, aumen­tando bastante o custo total da obra e, naturalmente, como está a surgir competitividade no mercado, os em­pregadores são obrigados a subir os salários”.

Olhando o futuro a médio prazo, Hugo Santos Ferreira sublinha que sector imobiliário já mostrou a sua resiliência e capacidade de inovação, e diz acreditar que o mesmo “se vai manter forte até ao final do ano”.

- PUB -

 

APPII desde 1991 a promover o investimento em Portugal

A APPII, constituída em 1991 é a entidade nacional que representa os promotores e investidores imo­biliários, nacionais e estrangeiros, com actividade no território portu­guês, cujo volume de investimento representa anualmente 15% do PIB nacional.

Em 2022, a associação celebrou 31 anos de existência a representar este sector do investimento imobiliário, nas suas várias vertentes, onde se incluem, entre outras, as empresas de promoção imobiliária e as recém­-criadas SIGIS – Sociedades de Gestão e Investimento Imobiliário.

A associação pauta a sua actuação pela capacitação de Portugal como um destino de investimento credível, seguro e atractivo aos investidores e pela criação de todas as condições com vista ao desenvolvimento das cidades do futuro, não fossem os pro­motores imobiliários os “fazedores de cidades”.

A APPII é considerada um centro vivo de troca de ideias, conhecimen­tos e negócios entre as empresas nacionais associadas e os players internacionais, que pretendem en­trar no mercado imobiliário através de uma associação credível com 30 anos de vida.

É por isso que a APPII é, desde a sua fundação, considerada uma das principais portas de entrada dos in­vestidores estrangeiros em Portugal.

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

Autoeuropa anuncia unidade 1 milhão do T-Roc que vai rodar noutro continente

Número redondo foi anunciado pela direcção da fábrica de Palmela. Automóvel já tem destino traçado

O sangue e o oxigénio dos Tribunais

Ninguém duvida que os oficiais de justiça são essenciais para a Administração da Justiça.

Sexta-feliz chega ao concelho para dar “mais tempo” aos funcionários

PartYard decidiu dar as tardes de sexta-feira aos trabalhadores para melhorar o seu rendimento
- PUB -