26 Junho 2022, Domingo
- PUB -
InícioSociedadeENA integra consórcio europeu para apoiar municípios rumo à neutralidade climática

ENA integra consórcio europeu para apoiar municípios rumo à neutralidade climática

Palmela, Sesimbra e Setúbal são os únicos municípios portugueses participantes

 

- PUB -

O projecto EuCityCalc, financiado pelo Horizonte 2020, tem como objectivo apoiar os municípios no planeamento da sua transição para a neutralidade climática através de uma ferramenta de modelação prospectiva.

“A grande vantagem da utilização desta ferramenta, a European City Calculator, é podermos efectivamente planear estes caminhos para a descarbonização de forma mais eficiente e perceber a real eficiência das medidas adoptadas para alcançar a neutralidade climática”, diz a O SETUBALENSE Orlando Paraíba, director técnico da ENA – Agência de Energia e Ambiente da Arrábida, único parceiro português do consórcio europeu que está a desenvolver aquele que é o maior programa de investigação e inovação da União Europeia.

Cumprir os objectivos do Acordo de Paris e assegurar que a Europa será o primeiro continente neutro em termos climáticos até 2050 exige que os municípios europeus estejam na vanguarda da transição climática, “fazendo face a uma crise que levou muitos a declarar emergência climática e a implementar medidas ambiciosas”.

- PUB -

Embora cada vez mais municípios tenham assumido o compromisso da neutralidade climática até meados do século, foram poucos os que conseguiram traduzir estes pactos em planos de transição precisos e tangíveis para os seus territórios.

Para dar resposta a esta situação, o EUCityCalc testará, assim, esta ferramenta de modelação em 10 municípios europeus de pequena e média dimensão – Palmela, Sesimbra, Setúbal, Riga, Dijon Métropole, Mantova, Zdar, Koprivnica, Varazdin e Virovitica – apoiando-os no desenvolvimento e implementação de roteiros e cenários de transição climática “cientificamente robustos, detalhados e integrados”.

Região regista momentos diferentes de desenvolvimento

- PUB -

Na sequência deste projecto, a ENA mapeará os parceiros locais potencialmente interessantes nos municípios-piloto, criará grupos de trabalho com especialistas em distintas áreas, implementará o processo de co-criação de cenários políticos e percursos de transição para a neutralidade climática nos municípios envolvidos, sem esquecer a elaboração de um guia para integrar estes percursos e cenários políticos nos Planos de Acção para a Sustentabilidade Energética e Climática.

Em Palmela, Sesimbra e Setúbal, “estamos a adaptar esta ferramenta para a escala municipal, uma vez que depende de região para região e temos de ter em conta as suas especificidades”, explica. “Estamos igualmente a trabalhar no envolvimento dos parceiros. Desenhar estes roteiros deve ser um processo pensado e vivido em conjunto com todos”, adianta.

O director técnico da ENA refere ainda que “na nossa região, estamos em momentos diferentes de desenvolvimento destes roteiros para a descarbonização, o que é óptimo para testar a implementação desta ferramenta”.

Setúbal assinou o Pacto de Autarcas na sua primeira versão e está neste momento a trabalhar com a ENA para dar o passo seguinte para o próximo patamar de desenvolvimento, o Pacto de Energia e Clima. Também em Palmela se está neste momento a equacionar a entrada nesta segunda fase do Pacto de Autarcas.

Sesimbra também já tem o Pacto de Autarcas assinado mas “ainda não se avançou para o desenho do que será o roteiro”. Nestes municípios, existem, assim, “três circunstâncias diferentes, pelo que, de uma forma mais rica, pela diversidade, poderemos testar condições diferentes de implementação. Estamos convictos de que será importante o desenvolvimento desta ferramenta para a região, ao mesmo tempo que também esta dará contributos importantes para o desenvolvimento desta metodologia pela diversidade dos estágios de desenvolvimento dos seus roteiros”, afirma.

No que diz respeito aos municípios, este projecto “potencia a sua acção na optimização do desenho destes roteiros, torná-los mais capazes e efectivos rumo ao objectivo último, a redução das emissões de carbono”.

Junto da sociedade em geral, esta ferramenta permite “trazer todos para dentro desta discussão, recolher contributos para que todos se sintam parte deste movimento, ouvidos e parceiros nestes roteiros”.

Uma das mais valias desta ferramenta é, no entender de Orlando Paraíba, mostrar “de forma muito imediata e rápida o impacto que a atitude e compromisso de cada um vai ter ao nível da descarbonização”.

Enquanto único parceiro português inserido neste projecto, a ENA pretende ainda que no futuro seja possível disseminar esta metodologia a outros territórios e regiões. O projecto EuCityCalc é coordenado pela Energy Cities e integra onze entidades de oito países europeus: Alemanha, Bélgica, Lituânia, Itália, França, República Checa, Portugal e Croácia.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Menina de três anos morre em caso suspeito de maus tratos pela ama

Criança apresentava ferimentos na boca e nariz e hematomas no corpo. Ama disse que tinha caído de uma cadeira no dia anterior
- PUB -