28 Setembro 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioSociedadeObra do jornalista barreirense Armando Seixas Ferreira lançada na biblioteca

Obra do jornalista barreirense Armando Seixas Ferreira lançada na biblioteca

Lançamento lotou Auditório Manuel Cabanas de amigos e convidados

 

- PUB -

O lançamento do livro “1821, O Regresso do Rei”, de autoria do jornalista barreirense Armando Seixas Ferreira, que aborda a viagem de D. João VI e a chegada da corte portuguesa a Portugal, após 14 anos de ausência no Brasil, encheu recentemente de convidados e amigos do autor o Auditório Manuel Cabanas, na Biblioteca do Barreiro, a pouco tempo das comemorações dos 200 anos que assinalam a independência daquele território.

De acordo com a sinopse da obra, a publicação – apresentada inicialmente em Lisboa –, recorda o dia em que uma esquadra de 12 navios, chefiada pela nau que transportou o monarca, partiu do Rio de Janeiro, com cerca de quatro mil pessoas a bordo, rumo a Portugal.

O regresso aconteceu no ano que dá título ao livro – 1821 –, a 26 de Abril, num momento da vida do rei marcado por “lágrimas”, que ali vivera “os dias mais felizes da sua vida”.

Sessão encheu Auditório Manuel Cabanas
- PUB -

Nesta obra, o jornalista recorda ainda que, se a dramática partida da corte para terras de Vera Cruz em 1807 é “amplamente conhecida, pouco sabemos sobre” o seu regresso.

O escritor consultou, por essa razão, desde diários de bordo a documentos da época e fontes inéditas para fazer “um relato empolgante sobre a vida da corte” pelo Brasil e sobre esta viagem náutica de 68 dias, traçando “um retrato de todo este período épico da nossa História” e que, em 1822, culminaria com a independência daquele país.

Recorde-se que o jornalista, natural do Barreiro, venceu em 2009, o Prémio nacional de Paridade de Jornalismo, com a grande reportagem “Mulheres à Prova de Bala”, que retrata a vida das paraquedistas portuguesas no Kosovo.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes
- PUB -