17 Outubro 2021, Domingo
- PUB -
Início Sociedade Badoca Safari Park: 22 anos de luta pela preservação e conservação da...

Badoca Safari Park: 22 anos de luta pela preservação e conservação da vida animal

Parque temático traz ambiente africano a terras alentejanas

 

- PUB -

Girafas, zebras, avestruzes e búfalos são alguns dos animais que é possível encontrar nos 90 hectares de extensão do Badoca Safari Park, em Vila Nova de Santo André, Santiago do Cacém.

O parque temático é, por si, um convite para “amantes da natureza passarem um dia diferente a conhecer a beleza da vida animal, em plena liberdade”. Para além dos animais selvagens em habitat natural, também aves exóticas e de rapina, primatas, lémures, suricatas e cangurus completam o rol residente na herdade.

“Abrimos em Maio de 1999, completámos recentemente 22 anos e temos centrado a nossa actividade nos animais e na preservação e conservação de muitas das espécies que temos no parque”, começa por dizer Francisco Simões de Almeida, sócio-gerente do Badoca Safari Park, a O SETUBALENSE.

- PUB -

“Neste momento temos 500 animais no nosso parque temático e grande parte das espécies são africanas”, adianta.

Entre as actividades que o parque tem para oferecer está o Safari, “numa área total de 45 hectares, no qual os passeios são feitos de comboio, puxados por tractor, com acompanhamento de guia, no meio das diferentes espécies de animais selvagens em habitat natural, como girafas, zebras, elandes, gnus, avestruzes e búfalos, que circulam livremente no espaço e convivem entre elas”.

Também a apresentação de aves de rapina faz parte da programação, com explicação sobre águias e falcões enquanto estes realizam voos livres e mostram como caçam as suas presas, sem esquecer a apresentação dos lémures, com uma sessão de alimentação aos mais simpáticos primatas de Madagáscar, e a visita à ilha dos primatas.

- PUB -

Para cumprir a promessa de passar “um dia em cheio no Alentejo”, é possível ainda realizar passeios pedestres ao ar livre, com visita à quinta pedagógica, com animais domésticos, florestas tropicais e africanas, e aos suricatas e cangurus. A apresentação de répteis está entre as mais recentes novidades.

Para além destas actividades, contempladas no bilhete, o Badoca dinamiza ainda experiências VIP, entre as quais está o Safari VIP, com a possibilidade de pequeno-almoço ou jantar incluído, a experiência de falcoaria, o encontro com as girafas, o rafting africano e a interacção com os lémures.

Espécies vivem em liberdade e no seu habitat natural

O Badoca Safari Park está “constantemente empenhado na sua missão de contribuir para a preservação e conservação das suas espécies, garantindo que reúne todas as condições naturais e necessárias para que estas vivam em plena liberdade e no seu habitat natural” e “os fundos angariados através dos apadrinhamentos, com a iniciativa ‘Padrinho em acção’ são para ajudar a alimentar e alojar os nossos animais e proporcionar-lhes excelentes condições de bem-estar”.

Estes fundos permitem também ao Badoca Safari Park participar nos programas de reprodução em cativeiro, com as espécies ameaçadas que habitam no parque, entre as quais estão girafas, órixes, lémures de barriga vermelha, gnus de cauda branca e búfalos do Congo.

Com a pandemia, o parque esteve encerrado durante muitos meses e vive neste momento um período de incerteza sobre o que virá a seguir.

Os projectos pedagógicos dinamizados no parque e direccionados a escolas, levavam, em tempos pré-pandemia, 17 mil alunos, vindos do País inteiro, à Herdade do Badoca, que recebia no total cerca de 85 mil visitas por ano.

“As visitas dos alunos, do pré-escolar ao ensino secundário, acontecem num contacto próximo com os animais, contribuindo para a formação de cidadãos ambientalmente conscientes”, refere, explicando que “o projecto pedagógico tem como objectivo promover e aumentar o conhecimento e consciência ambiental de todos, em particular dos mais jovens, para a imperiosa necessidade de conservação das espécies e preservação da biodiversidade”.

O Badoca reabriu a 4 de Maio e Francisco Simões de Almeida partilha que “dada a situação que o mundo está a viver, a nossa preocupação é manter o parque aberto, com as responsabilidades directas que temos, com os animais e com as pessoas, vivendo um dia de cada vez com esperança que tudo corra bem”.

Com desejo de que “ultrapassemos rapidamente esta situação para que possamos desenvolver o potencial do parque noutras actividades”, o representante da equipa Badoca garante que até lá se encontram “a fazer o que temos feito ao longo destes últimos 22 anos, acolhendo da melhor forma possível as pessoas que nos visitam no espaço fantástico que é o Badoca Safari Park”.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Geringonça dá Assembleia Municipal do Montijo ao PSD

Apesar de vencer nas autárquicas, PS vai perder presidência no órgão. CDU tem compromisso com os social-democratas. Se não houver recuo, Ana Dias Neves...

Construção de duas novas fábricas da Repsol é maior investimento dos últimos dez anos no país

Empresa quer tornar Complexo de Sines num dos mais avançados e competitivos da Europa

Fernando Negrão acusa administração do Centro Hospitalar de “incompetência” e defende demissão

Vereador social-democrata afirma que membros do órgão de gestão “estão cegos” e pede a sua substituição “por gente competente”   Fernando Negrão, vereador da Câmara Municipal...
- PUB -