10 Maio 2021, Segunda-feira
- PUB -
Início Sociedade Centro Hospitalar Barreiro Montijo investe dois milhões para alargar Unidade de Cuidados...

Centro Hospitalar Barreiro Montijo investe dois milhões para alargar Unidade de Cuidados Intensivos

Intervenção em curso visa aumentar actividade e número de internamentos

 

- PUB -

O Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM) anunciou, na última quinta-feira, que está a investir uma verba de dois milhões de euros na ampliação da Unidade de Cuidados Intensivos (UCI).

Prevista está a beneficiação do espaço, com a expansão do serviço e capacitação tecnológica do mesmo, de modo a permitir o isolamento em simultâneo de um total de seis doentes, dois dos quais em quartos com pressão negativa. De acordo com a instituição, aquela unidade dispõe actualmente de cinco camas para este tipo de cuidados, em áreas de ‘open space’, para servir um total superior a 216 mil habitantes dos concelhos de Alcochete, Barreiro, Moita e Montijo.

A intervenção em causa, revela o CHBM, permitirá “aumentar a lotação da Unidade para 11 camas (Nível II e Nível III), apetrechando o Centro Hospitalar de uma infra-estrutura mais adequada à intensidade dos cuidados prestados aos doentes em situação crítica”, o que, adicionalmente, possibilitará ainda que a UCI “passe a dispor de idoneidade formativa em medicina intensiva, para médicos em formação noutras especialidade”.

- PUB -

Na perspectiva daquele estabelecimento hospitalar, a implementação do projecto irá criar “condições físicas para que a UCI venha a aumentar gradualmente a sua actividade”, em número de internamentos e na complexidade de doentes internados. “É ainda expectável que seja possível reduzir os tempos médios para cirurgias mais complexas e em doentes com níveis de severidade superiores, atendendo ao aumento potencial da disponibilidade de cama em UCI para o pós-operatório imediato”, informa.

Transferência de doentes para outros hospitais

A operação em curso permitirá ainda evitar, em muitos casos, a transferência de doentes em estado crítico para outras unidades hospitalares, contribuindo desta forma para a fluidez da Rede Nacional de Especialidades Hospitalares e de Referenciação em Medicina Intensiva. Deste modo, será possível o “tratamento simultâneo no CHBM de doentes críticos com outras patologias e de alguns dos doentes com patologia covid-19 que careçam de ventilação e cuidados intensivos em quartos de ventilação negativa, reduzindo a pressão na procura nos hospitais centrais da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT)”.

- PUB -

Para Paulo André, responsável daquele serviço, a intervenção é “o início de um processo de melhoria que deverá conduzir a uma maior diferenciação da UCI”, que considera ser “essencial para aumentar e qualidade da assistência aos doentes em estado crítico que acorrem ao CHBM”, potenciando assim a optimização da qualidade dos cuidados em toda a unidade de saúde.

- PUB -

Mais populares

Barcos da Transtejo/Soflusa param travessia do Tejo a 20 de Maio

Na reunião de hoje com a administração da empresa, e conforme o que tinha sido decidido em plenário de trabalhadores da semana passada, o...

Sindicato não aceita aumentos de salários propostos pela administração da Autoeuropa

Administração da fábrica da Volkswagen em Palmela quer acordo que prevê aumentos salariais a três anos em função da taxa de inflação, sindicato contesta

Empresa dedicada à comercialização de canábis chega a Setúbal com nova unidade no parque BlueBiz

Espaço servirá para pós-colheita da planta medicinal. Produtora escolheu a cidade sadina “por possuir excelentes acessibilidades e oferecer flexibilidade nas suas instalações”   A empresa Clever...
- PUB -