21 Janeiro 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioSociedadeEcoGreen Power é resposta da Eco-Oil ao desafio da descarbonização

EcoGreen Power é resposta da Eco-Oil ao desafio da descarbonização

Fuel 100% reciclado permitiu, em 2020, evitar a emissão de toneladas de gases poluentes

 

- PUB -

Para além da gestão de resíduos industriais perigosos, a Eco-Oil aposta na comercialização de fuel onde assume diferenças assinaláveis perante o que existe no mercado. Desde logo o EcoGreen Power, um combustível 100% reciclado. É um produto, explica o Nuno Matos Director-geral da empresa sediada na Mitrena, Setúbal, “que apresenta menores emissões poluentes quando comparado com o combustível fóssil equivalente. Em 2020, o conjunto dos nossos clientes evitaram a emissão de 4 000 toneladas de gases poluentes.

O gestor diz que, ao jornal O SETUBALENSE, que a prioridade no presente para garantir o futuro é a capacidade de adaptação à descarbonização da economia. Na sua opinião este processo “irá introduzir alterações importantes no negócio dos combustíveis”. O EcoGreen Power, afirma, “é a nossa resposta a essa mudança. Temos como objectivo melhorar a qualidade para permitir novas e mais interessantes aplicações. O protocolo estabelecido com a Academia, permite um continuado processo de investigação e melhoria”.

O EcoGreen Power, frisa, “é um sucesso. Em 2015, quando foi feito o investimento foram realizadas projecções a cinco anos, largamente ultrapassadas. Em 2020, apesar da enorme crise social e económica que a pandemia trouxe, foi possível crescer 19% nesse segmento e procuraremos em 2021 continuar a crescer”.

- PUB -

A gestão de resíduos industriais perigosos e produção de fuel são os principais focos de actividade da empresa. Um trabalho delicado que, se mal gerido, pode colocar a sustentabilidade ambiental em causa. Nuno Matos diz que a empresa está ciente dessa realidade e decisões foram tomadas nesse sentido. ”A Eco-Oil foi classificada com a medalha de ouro pelo sistema internacional de Avaliação do Indicie de Sustentabilidade da EcoVadis. Todas as decisões são tomadas tendo como principal preocupação a redução do risco. No âmbito da nossa certificação de Qualidade, Ambiente e Segurança, está estabelecida a metodologia de análise de risco que é revista regularmente, para garantir uma actividade com nível de risco, para o ambiente e para as pessoas, considerado aceitável”.

A Eco-Oil iniciou a sua actividade em 2001, integrada no universo de participações da CUF – Companhia União Fabril SGPS, S.A. (sub-holding do Grupo José de Mello para a área Química). Tendo sido fundada com o propósito de assistir navios-tanque destinados aos estaleiros da Lisnave, sediados na Mitrena, e que integravam também, à data, o Grupo José de Mello.

Protecção do ambiente sem descurar a segurança das pessoas

Na Eco-Oil a responsabilidade, e o foco “nas nossas pessoas” são, vinca Nuno Matos, “as prioridades”. O tratamento de resíduos industriais perigosos exige, acrescenta “responsabilidade”. A actividade assenta em “duas preocupações essenciais; a protecção do ambiente e em particular no ecossistema da Mitrena onde desenvolvemos a nossa actividade, e a segurança de pessoas e dos activos.

- PUB -

O último inquérito anónimo realizado aos nossos colaboradores revelou que 95% tem orgulho em trabalhar na Eco-Oil”.

Num contexto global e em comparação com a concorrência, o director-geral da empresa, refere que “os nossos concorrentes são internacionais e disputam connosco o mercado dos navios do Atlântico Norte. Nesse sentido, a nossa actividade tem um impacto regional”.

“A Eco-Oil é uma das três maiores instalações europeias para tratamento destes resíduos. A nossa maior diferenciação será a capacidade de tratamento e de valorização dos resíduos. Devo dizer que não tratamos só resíduos, os resíduos são a matéria-prima para produzir combustível. 96% dos resíduos recebidos são reciclados.”, conclui.

 

 

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

Pinhalnovense sem jogadores para jogar fez falta de comparência

A 12.ª jornada do Campeonato de Portugal ficou marcada pela falta de comparência do Pinhalnovense no jogo que deveria disputar em casa com o...

Vereador diz que cães vadios fogem com crânios na boca e acusa PS de tratar mal os vivos e pior os mortos

João Afonso volta a criticar serviço nos cemitérios. Autarca do PSD denuncia ossadas lavadas em tanques da roupa e colocadas em caixas de fruta a secar. Nuno Canta diz que é fantasia

Pinhalnovense não tem jogadores para ir a jogo no próximo domingo

No Campeonato de Portugal a situação está muito complicada para os clubes da região porque o Barreirense está numa posição delicada na tabela classificativa...
- PUB -