16 Maio 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioSociedadeLisnsave teve o ano passado 76 projectos de reparação

Lisnsave teve o ano passado 76 projectos de reparação

Empresa destaca ainda a qualidade dos seus serviços

 

- PUB -

A Lisnave terminou o ano de 2020, que ficou marcado pela pandemia Covid-19, que ainda se mantém, com 76 projectos de reparação de navios concluídos, com 72 a envolverem trabalhos em doca seca.

De acordo com a empresa, uma das mais marcantes da região, os navios-tanque foram aqueles que mais trabalho ‘deram’ à Lisnave, representando praticamente 36% do número total de navios reparados.

“Seguindo a tendência de anos anteriores, navios-tanque (27) e de transporte de gás (14) foram os mais importantes segmentos de mercado para a Lisnave, representando um total de 55% da actividade”, lê-se num comunicado.

- PUB -

Durante o ano que passou as embarcações reparadas nos estaleiros da Lisnave foram originários de 46 clientes localizados em 19 país, com a distribuição geográfica a ser mais representativa no Reino Unido, Noruega, Singapura, Alemanha e Bélgica.

“Continuando mais uma vez a tendência de outros anos, o número elevado de clientes que utilizaram e reutilizaram os nossos serviços em 2020 demonstra o reconhecimento da qualidade do serviço prestado pela Lisnave”, diz também o comunicado.

A empresa refere ainda que, apesar do contexto, e da “imprevisibilidade” de 2021, está assegurado um número “razoável” de projectos de reparação.

- PUB -

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas

“A Judiciária que investigue, não temos nada a esconder”

Igor Khashin e Yulia Khashina falam pela primeira vez após o inicio da polémica

Matias Damásio a abrir com The Gift pelo meio e Dulce Pontes a fechar as Festas de São Pedro

Calendário das três actuações está definido. Depois de dois anos de interregno, a tradição volta a ser o que era
- PUB -