14 Maio 2021, Sexta-feira
- PUB -
Início Política Deputada Sandra Cunha renuncia a mandato depois do Ministério Público ter pedido...

Deputada Sandra Cunha renuncia a mandato depois do Ministério Público ter pedido levantamento da imunidade parlamentar

Sandra Cunha não quer que o Bloco de Esquerda seja envolvido num processo que apenas a si diz respeito, e a que quer responder em “total liberdade”

- PUB -

 

A deputada do Bloco de Esquerda Sandra Cunha renunciou ontem ao mandato na Assembleia da República, depois do Ministério Público ter pedido o levantamento da sua imunidade para a constituir como arguida por alegada discrepância das moradas que a eleita indicou ao Parlamento

Foi a própria Sandra Cunha, eleita pelo círculo eleitoral do Distrito de Setúbal e cabeça-de-lista do partido à câmara setubalense nas últimas autárquicas, que deu a saber desta decisão através da sua rede social do Facebook, onde afirma que foi constituída como arguida, tendo sido este o motivo que a levou a “pedir renúncia” do “mandato de deputada à Assembleia da República”.

- PUB -

A sua determinação resulta de “motivos pessoais”, uma vez que pretende “defender” o seu “bom nome com total liberdade”. Quanto aos motivos políticos, que estiveram também na base da sua decisão, afirma: “não quero que a continuidade em funções durante a minha defesa possa ser usada como arma de arremesso contra o Bloco de Esquerda”.

De acordo com Sandra Cunha, o Ministério Público pediu o levantamento da sua imunidade parlamentar “para ser constituída arguida na sequência da identificação de discrepâncias nas moradas” que indicou ao Parlamento “entre 2017 e 2018”, discrepâncias essas que: “esclareci oportunamente, quando as corrigi”, garante.

Segundo publica o JN, além de Sandra Cunha do BE, estão a ser investigados pelo Ministério Público, pelo mesmo motivo, três deputados do PSD (Carla Barros, Firmino Marques e Pedro Roque), três do PS (Elza Pais, Fernando Anastácio e Nuno Sá) e um do CDS-PP (João Almeida).

- PUB -

O levantamento da imunidade parlamentar foi aprovado pela Comissão de Transparência, a pedido do Ministério Público, e foi nessa sequência que a bloquista decidiu renunciar ao mandato. O que estará a ser investigado é, a agora ex-deputada, ter declarado que residia entre Sesimbra e Almada, usando, respectivamente, a sua morada e a dos pais, refere o mesmo jornal.

Sandra Cunha vai ser substituída por Diana Santos, que figurava em quarto lugar na lista do Bloco de Esquerda pelo Distrito de Setúbal. A nova deputada tem 36 anos, é psicóloga clínica e activista pelos direitos humanos e civis das pessoas com deficiência.

 

- PUB -

Mais populares

GNR desmantela maior rede de tráfico de amêijoa do Tejo em mega-operação com 200 militares

Operação resultou na detenção de seis homens e duas mulheres e na apreensão de 120 mil euros, 22 veículos e 14 embarcações   Um grupo de...

Luís Maurício: “Vamos fazer tudo para criar a polícia municipal”

Cabeça-de-lista do Chega à Câmara de Setúbal diz que concelho é inseguro e quer videovigilância em certas zonas da cidade   Luís Maurício, de 42 anos,...

Detidos em operação internacional de captura de amêijoa no Tejo são portugueses

Detidos serão presentes amanhã e quinta-feira ao tribunal do Montijo para 1.º interrogatório e aplicação das respectivas medidas de coacção   Os cinco detidos numa mega-operação...
- PUB -