27 Junho 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioRegionalBloquistas querem lei mais apertada contra violência de género

Bloquistas querem lei mais apertada contra violência de género

Numa acção de campanha no Barreiro, a comitiva do Bloco de Esquerda ouviu o recente movimento Acção Contra a Violência de Género do Barreiro

 

- PUB -

O Bloco de Esquerda reuniu ontem com membros do movimento ACVG Barreiro –  Acção Contra a Violência de Género do Barreiro, que foi constituído depois de 60 mulheres, neste concelho, terem sido, alegadamente, vítimas de violência de género por um só homem.

Para o Bloco, a cooperação entre este tipo de movimentos de cidadão e a esfera política “visa aprofundar o conhecimento no terreno e alcançar estratégias de combate à violência de género contra as mulheres”.

Note-se que o ACVG Barreiro tem como objectivo a prevenção e combate à violência de género e doméstica, prestando apoio às vítimas.

- PUB -

Em comunicado, o BE aponta que Setúbal é o 3º distrito do país com mais violência doméstica, e que entre 2004 e 2018 foram assassinadas 50 mulheres no distrito. Só este ano já foram mortas 27 mulheres em todo o país.

Depois da violência doméstica ter passado a crime público por iniciativa do Bloco de Esquerda em 2000, os bloquistas “lamentam que tenha sido rejeitada a proposta da criação do Estatuto de Vítima para Crianças testemunhas ou em ambiente de violência doméstica”, proposta recusado pelo PS, PCP e CDS. Esta indicava que a “recolha obrigatória de depoimentos tinha de ser feita nas 72 horas seguintes à queixa”, isto para “memória futura”; mas os mesmos três partidos rejeitaram

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

Menina de três anos morre em caso suspeito de maus tratos pela ama

Criança apresentava ferimentos na boca e nariz e hematomas no corpo. Ama disse que tinha caído de uma cadeira no dia anterior
- PUB -