17 Agosto 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioRegionalAntónio Costa reforça Montijo durante assinatura de memorando com a ANA

António Costa reforça Montijo durante assinatura de memorando com a ANA

Memorando entre a ANA e o Governo foi assinado na quarta-feira, 15, nas instalações do aeroporto Humberto Delgado, e define “acessibilidades e a promoção da mobilidade, tanto do lado do Montijo como em Lisboa”

O primeiro-ministro, António Costa, disse esta quarta-feira que a utilização do Montijo como aeroporto complementar de Lisboa é a solução de “maior viabilidade”, sendo agora necessário “maximizar oportunidades” e os “ganhos” para o desenvolvimento regional.

- PUB -

“Acho que o País já estudou o que tinha a estudar. Importa decidir o que se tem de decidir”, declarou o chefe do Governo, falando na sessão de assinatura do memorando de entendimento entre a ANA – Aeroportos de Portugal e a tutela sobre a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa.

Costa admitiu que no passado “outras soluções teriam sido possíveis e daqui a cem anos outras poderão ser possíveis”, mas no presente a solução do Montijo é a mais “compatível com as soluções económicas e financeiras do País” e consiste na solução “que apresenta maior viabilidade”.

O primeiro-ministro lembrou que “por força das circunstâncias” já passou “boas centenas de horas, para não dizer milhares de horas” a debruçar-se sobre o tema, inclusive lendo estudos “que já demonstraram tudo e o seu contrário”. De todo o modo, asseverou, a solução apresentada permitirá a “maximização de oportunidades para o desenvolvimento harmonioso do conjunto da área metropolitana e do conjunto dos concelhos da península de Setúbal”.

- PUB -

Antes, o ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, havia considerado que a utilização do Montijo como aeroporto complementar à infra-estrutura de Lisboa, a partir de 2021, “é uma solução sólida” e “financeiramente comportável para o Estado”.

Construção pronta em 2021

- PUB -

O calendário para efectivar a escolha do Montijo como aeroporto complementar de Lisboa prevê que até Novembro deste ano sejam completados os estudos ambientais, enquanto na primeira metade de 2018 serão concluídas a avaliação ambiental e a negociação contratual com a ANA.

Durante o próximo ano serão desenvolvidos os “projectos de detalhe, para que, caso o Governo aprove a proposta final do concessionário, a construção do aeroporto no Montijo possa iniciar-se em 2019 e terminar em 2021”, como anunciou o ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques.

Com um aeroporto complementar no Montijo fica assegurada a duplicação da capacidade actual de transporte aéreo da região de Lisboa, que passará a poder movimentar 72 aviões por hora e transportar 50 milhões de passageiros por ano.

Comentários

- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Mulher morre em colisão entre dois veículos em Grândola

Uma colisão frontal entre dois veículos ligeiros na Estrada Nacional 261, no cruzamento do Carvalhal, provocou, esta tarde, um morto e dois feridos graves.

Acidente de viação no Montijo provoca três mortos

Colisão frontal provocou a morte de dois homens, de 26 e 32 anos, e de uma mulher, de 24 anos
- PUB -