19 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
PENSAR SETÚBAL: Vitória Futebol Clube: A 3ª Taça de Portugal

PENSAR SETÚBAL: Vitória Futebol Clube: A 3ª Taça de Portugal

PENSAR SETÚBAL: Vitória Futebol Clube: A 3ª Taça de Portugal

Neste ano de 2023 perfazem dezoito anos sobre a conquista da 3ª Taça de Portugal, pelo Enorme Vitória Futebol Clube.

O adversário era o Benfica.

- PUB -

Tive o privilégio de assistir em directo, ao vivo e a cores a essa jornada memorável, grandiosa e épica. De manhã embarcámos nos autocarros cedidos pela Câmara (o nosso autocarro era o nº13, para dar sorte) e aí fomos nós todos imbuídos de espírito vitoriano para o Estádio do Jamor.

Durante algum tempo circulámos pelas zonas envolventes ao estádio, onde comemos, gritámos, confraternizámos com alegria e espírito desportivo.

De seguida, entrámos nas instalações do estádio, não tendo os funcionários permitido que eu levasse o meu cantil. Daí que tive de escondê-lo num arbusto, na vã esperança de o reencontrar.

- PUB -

No fim do jogo, fui à procura do cantil…e lá estava ele cheio de água que me soube pela vida.

Dentro do estádio, a falange vitoriana colocou-se no topo norte do estádio que se foi progressivamente enchendo de adeptos. Assistimos à actuação das tunas de uma Universidade de Lisboa e da nossa (Pólo Universitário de Setúbal), cantámos a música “Rio Azul” de Mário Regalado e Laureano Rocha, assistimos à descida de paraquedistas.

Finalmente, o jogo.

- PUB -

Ainda não tínhamos aquecido o lugar e já o nosso guarda-redes Marcelo Moretto tinha derrubado um jogador do Benfica, com a correspondente grande penalidade convertida por Simão.

A partir daí o Vitória começou a dominar as operações; o empate adivinhava-se não sendo de estranhar o golo obtido por Manuel José, na sequência de uma bela jogada envolvente de ataque organizado, protagonizada por Jorginho.

Este golo despoletou uma enorme explosão de alegria. Manuel José correu embalado na nossa direcção seguido pelos restantes jogadores, todos abraçados ao molho.

A segunda parte foi mais equilibrada, embora se notasse um maior pendor ofensivo e uma organização no jogo mais eficaz por parte da equipa do Vitória.

A meio da segunda parte e na zona intermediária, do lado direito, Sandro foi derrubado, com a correspondente falta. O próprio Sandro executou o livre, enviando a bola na direcção da entrada da grande área onde Albert Meyong a amorteceu no peito e a colocou perfeita na direcção de Ricardo Chaves.

Este, inflectindo ligeiramente para a esquerda, fuzilou a baliza do Benfica; o guarda-redes encarnado defendeu com muita dificuldade o remate, mas não conseguiu evitar a recarga certeira de Meyong.

A alegria foi redobrada. Uma explosão ainda maior que a primeira.

Faltavam 20 minutos para o jogo terminar. Embora se notasse um maior pendor por parte do Benfica, o jogo esteve sempre controlado.

A seguir foi a festa. Gente aos gritos, abraçados, enleados num amor vitoriano indescritível que se prolongou até à noite, quando a equipa chegou à Praça de Bocage, para exibir a nossa 3ª Taça de Portugal.

Peguei nas minhas filhas Leonor (11 anos) e Madalena (4 anos) ao colo para que pudessem apreciar as vistas e sobretudo, a Taça. De seguida, tirei a filha mais nova, a Vera (11 meses) do carrinho, para que também visse a Taça.

Estas são imagens que permanecem firmes na nossa memória e que não mais arredam pé do nosso espírito.

 

O Vitória Futebol Clube é um dos clubes mais categorizados do desporto em Portugal, possuindo um palmarés prestigiado, a saber:

-Vice-Campeão Nacional em 1972, com José Maria Pedroto;

-Vencedor das Taças de Portugal em 1965 e 1967, com Fernando Vaz;

-Vencedor da Taça de Portugal em 2005, com José Rachão (época iniciada até meio por José Couceiro);

-Vencedor da 1ª edição da Taça da Liga em 2008, com Carlos Carvalhal;

Para além de muitos, muitos outros troféus. Supertaça ibérica, Taça Teresa Herrera, Mini Copa do Mundo, etc. etc.

Fica aqui a ficha técnica, igual às molduras informativas que se encontram actualmente à frente de todas as taças emblemáticas que estão na sala de imprensa (para quando a reactivação da Sala de Troféus Josué Monteiro?) e que foram por mim oferecidas ao Vitória.

  • ÉPOCA: 2004/2005
  • LOCAL e DATA: Estádio do Jamor, 29 de Maio de 2005.
  • RESULTADO: Vitória, 2 – Benfica, 1
  • TREINADOR: José Rachão.
  • EQUIPA: Moretto, Bruno Ribeiro, Éder, Hugo Alcântara, Auri, Nandinho, Manuel José, Sandro, Jorginho, Ricardo Chaves, Meyong.
  • MARCADORES: VITÓRIA: Manuel José e Meyong; BENFICA: Simão.

 

VIVA O VITÓRIA!!!

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -