30 Novembro 2021, Terça-feira
- PUB -
InícioOpiniãoSe as eleições fossem hoje, como ficaria Setúbal representado?

Se as eleições fossem hoje, como ficaria Setúbal representado?

Vivemos tempos conturbados com a reprovação do orçamento de estado. Embora, mesmo com a possibilidade de um desaire, António Costa manifeste a intenção de se manter incrustado no poder na expectativa de dirigir a aplicação da bazuca, há a real possibilidade de Marcelo Rebelo de Sousa dissolver a assembleia e convocar novas eleições.

- PUB -

Tal evento significa levar os portugueses novamente às urnas para legitimar uma nova solução de governo.

E, o que quer isto dizer ao nível do distrito de Setúbal? Afinal, falamos apenas de política nacional, certo? Errado! Na realidade, as eleições legislativas são a oportunidade de os eleitores colocarem na assembleia alguém que defenda os interesses do seu distrito. A assembleia é representativa do território e, em particular neste caso, o distrito de Setúbal é representado por 18 deputados. São poucas as pessoas que veem as legislativas desta perspetiva pois, em regra, a comunicação social foca-se apenas nos líderes partidários e dá pouca ênfase às listas distritais.

Nas últimas legislativas de 2019, Setúbal ficou representado da seguinte forma: 9 deputados do PS, 3 da CDU, 3 do PSD, 2 do Bloco de esquerda e 1 do PAN. Foram eleitos pelo distrito algumas personalidades bem conhecidas, em alguns casos pelos piores motivos, entre elas, pelo PS, Ana Catarina Mendes, Eduardo Cabrita e João Galamba, pelo PSD, Fernando Negrão, pelo BE Joana Mortágua e, pelo PAN, Maria Cristina Rodrigues, a qual viria a desfiliar-se e a ficar como “não inscrita”. Portanto, Setúbal é responsável pela eleição de algumas figuras controversas como o ministro (Eduardo Cabrita) das golas, dos incêndios, do roubo do arsenal militar, do homicídio no SEF e consequente desmantelamento deste serviço, do realojamento forçado dos imigrantes em Odemira e do atropelamento mortal de um trabalhador na A6, ou o secretário de estado (João Galamba) do Lítio e do Hidrogénio com o fecho antecipado das centrais elétricas de Sines e do Pego. Se os habitantes do distrito soubessem o que estes personagens viriam a fazer, talvez tivessem votado diferente. Vamos ver como será o escrutínio nas próximas eleições. Contudo, para votar diferente é preciso que compreendam o impacto que o seu voto realmente tem e quem realmente estão a eleger.

- PUB -

Voltando aos interesses do distrito, fica o desafio, para o leitor e eleitor do distrito de Setúbal, de procurar perceber que propostas fizeram cada um destes 18 deputados, os quais, teoricamente, representam o distrito e, dessas propostas, quantas têm real impacto na realidade do distrito. Outro desafio é escrutinar o voto de propostas votadas na assembleia que impactam o distrito, como, por exemplo, a criação de uma NUTS II, o que iria beneficiar em muito a região da Península de Setúbal com a atribuição de mais fundos comunitários e com mais facilidade no acesso a estes.

Fazendo uma análise de números, em 2019, o último deputado a ser eleito foi André Alexandre Pinotes Batista do PS com 16937 votos, cerca de 600 votos abaixo do valor com que foi eleita a ex-deputada do PAN. Foi, portanto este o limite para os partidos menos votados para elegerem 1 deputado. De fora ficaram 15 partidos, entre eles o CDS e outros dois que hoje se apresentam como candidatos à disputa de lugares nesta lista de 18 deputados, o CHEGA e a Iniciativa Liberal.

Dada a volatilidade política, em especial ao nível dos partidos menos votados, um exercício interessante de fazer é olhar para as autárquicas e até para as presidenciais e procurar extrapolar resultados. Se aplicarmos puramente os resultados das autárquicas, o que representa uma realidade completamente diferente das legislativas, é interessante ver que o PS e a CDU conseguiriam ambos 7 deputados, o PSD apenas 2 e, tanto o Bloco como o Chega conseguiriam 1 deputado cada. No entanto, o resultado de André Ventura nas presidenciais não pode ser descartado. Os perto de 43800 votos colocam o chegam entre os 2 e os 3 deputados eleitos pela região. Também é significativo perceber que, com a dispersão de resultados das autárquicas, o último deputado a ser eleito baixaria o número de votos para os 15500, valor que, atendendo à tendência de crescimento da IL, coloca, como distante, mas possível, a possibilidade de conseguir eleger 1 deputado. No sentido inverso temos o PAN que vê em risco a eleição de 1 deputado.

- PUB -

Havendo eleições em janeiro podemos então fazer o exercício de extrapolar para o distrito de Setúbal os seguintes resultados:

PS entre 7 e 8 deputados. Esperemos que a qualidade destes melhore, será importante que o eleitorado de PS analise os candidatos propostos e faça o devido escrutínio.

CDU, visto a cristalização do eleitorado, é espectável que mantenham o mesmo número de deputados. Mesmo baixando em 10% será difícil perder 1 deputado. Contudo, a CDU poderá perder alguma votação para o Chega. No sentido ascendente poderá até haver a surpresa de aumentar em 1 deputado, visto que em 2019 o quarto deputado seria eleito se a quantidade de votos fosse aquela que já constatámos para a distribuição das últimas autárquicas, ou seja 15500. Assim, a CDU deverá ficar entre os 3 e os 4 deputados.

O PSD deverá crescer, o quanto é a grande questão destas eleições. Outra questão que impactará tal crescimento é a forma como o PSD se vai apresentar, ou seja, isolado sob a insígnia do PSD ou coligado com o CDS-PP. Ou até, num ato de loucura, coligado com o Chega. É complicado perceber o impacto de uma eventual coligação com o CDS nesta altura. É natural que o PSD consiga somar mais 1 deputado por Setúbal e é possível que, coligado, chega a conseguir ainda outro. Ou seja, o PSD deverá conseguir 4 a 5 deputados. Em contrapartida, o CDS, na sua trajetória descendente, não coligado não deverá conseguir eleger nenhum deputado.

O PAN tem em risco a deputada que elegeu em 2019, pelo que, em Setúbal, o resultado deverá ser entre 0 e 1 deputados.

O Bloco de Esquerda tem também vindo a traçar uma trajetória descendente e corre o risco de reduzir o contingente a 1, perdendo 1 dos 2 deputados eleitos em 2019. Tal representa um resultado de 1 a 2 deputados para o BE.

A grande surpresa, ou nem tanto, deverá ser o Chega. Considerando a evolução das votações, mesmo tendo em conta que são eleições presidenciais e autárquicas existem uma tendência que pode ser usada para inferir. Assim, é possível ao Chega, chegar aos 3 deputados. Ou seja, é provável que o chega consiga entre 2 e 3 deputados em Setúbal.

Outra grande dúvida é saber se a Iniciativa Liberal consegue acelerar o crescimento e duplicar o número de votos que Tiago Mayan conseguiu em janeiro passado. Algo que já foi visto entre votações e que poderá ser repetido. Sem o fantasma do apelo ao voto útil, caberá à Iniciativa Liberal encontrar um bom cabeça de lista e fazer uma campanha irreverente por todo o distrito, perdendo a tendência a se concentrar nos principais centros urbanos.

Em jeito de resumo fica o seguinte quadro com os resultados de 2019 e as previsões para 2022.

 

PS CDU PSD BE PAN CHEGA IL Total
2019 9 3 3 2 1 0 0 18
2022
Min 7 3 4 1 0 2 0 17
Máx 8 4 5 2 1 3 1 24
Aposta 7 3 4 1 0 2 1 18
[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
João Pereira
Conselheiro Nacional da Iniciativa Liberal e membro do Núcleo Territorial do Montijo.
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -