8 Maio 2021, Sábado
- PUB -
Início Opinião A esperança e a luta voltaram em força à rua

A esperança e a luta voltaram em força à rua

Uns senhores ditos também amantes do 25 de Abril, à cata de protagonismo, fazendo-se de vítimas excluídas, tentaram baralhar os menos atentos e ofuscar a gloriosa efeméride. Mesmo contando com a colaboração de comentadores e medias da nossa praça, não conseguiram. Ela cala bem fundo no coração do nosso povo. Portanto, em todo o País, o 47º aniversário da Revolução dos Cravos, comemorou-se com entusiasmo, alegria, esperança e luta.

- PUB -

No seixal, por todo o concelho, eleitos, dirigentes do Movimento Associativo e demais cidadãos, em diversas iniciativas, mais uma vez, comemoraram condignamente “o dia inicial inteiro e limpo”.

Em Corroios, por exemplo, o momento mais alto, foi a Exposição “25 de Abril em Corroios Sempre!” no jardim da Quinta da Água. Onde, perante o Executivo da Junta de Freguesia, eleitos da Assembleia de Freguesia, dirigentes do Movimento Associativo local e muitos fregueses, o presidente da AF, Manuel Guerra, e o presidente da JF, Eduardo Rosa, usaram da palavra.

O primeiro, referindo-se ao 45º aniversário da promulgação da Constituição da República Portuguesa, destacou a importância fundamental que a mesma atribuiu aos direitos de todos os cidadãos e cidadãs. Desde logo, o direito à participação em todos os órgãos do Poder Local Democrático, intervindo com as suas opiniões e propostas nas Assembleias de Freguesia e Assembleias Municipais, elegendo livremente os seus representantes a esse nível, assim como para a Assembleia da República, Parlamento Europeu e Presidência da República.

- PUB -

Eduardo Rosa, destacou a importância no desenvolvimento regional, na qualidade de vida das populações, imprimido pelas Autarquias Locais com os seus dirigentes livremente eleitos.

À tarde, a tradicional comemoração popular com desfile na Avenida da Liberdade em Lisboa. Apesar dos condicionalismos de segurança relativos à pandemia, talvez para surpresa de muita gente, ele voltou a ser poderoso, colorido, alegre e vigoroso nas diversas palavras de ordem de luta. E com um aspecto muito interessante: a presença de muitos jovens.

É verdade que há bastante desilusão, muitos dos ideais de Abril ainda não se cumpriram, houve até retrocessos agora agravados com a pandemia, mas a culpa não é do 25 Abril. Se “as portas que Abril abriu”, já se encontram apenas entreabertas, ele permite que as voltemos a escancarar. Como sempre, estás nas mãos do seu principal protagonista; o povo.

- PUB -

E Maio confirmou Abril. Excedeu mesmo as expectativas.

Respondendo à convocação da CGTP-IN, cumprindo as já referidas normas de segurança, dois poderosos e entusiastas desfiles, um partindo do Campo Pequeno e outro dos Anjos, confluíram para a Alameda D. Afonso Henriques, onde a líder daquela central sindical, Isabel Camarinha, sinal de que as injustiças persistem e até se agravaram, fez uma síntese das últimas lutas mesmo em tempos de pandemia, e das que se perspetivam. Sempre, como disse, na defesa dos direitos e justas aspirações dos trabalhadores. A multidão aplaudiu.

Francisco Ramalho
Professor, Corroios
- PUB -

Mais populares

Barcos da Transtejo/Soflusa param travessia do Tejo a 20 de Maio

Na reunião de hoje com a administração da empresa, e conforme o que tinha sido decidido em plenário de trabalhadores da semana passada, o...

Sindicato não aceita aumentos de salários propostos pela administração da Autoeuropa

Administração da fábrica da Volkswagen em Palmela quer acordo que prevê aumentos salariais a três anos em função da taxa de inflação, sindicato contesta

Empresa dedicada à comercialização de canábis chega a Setúbal com nova unidade no parque BlueBiz

Espaço servirá para pós-colheita da planta medicinal. Produtora escolheu a cidade sadina “por possuir excelentes acessibilidades e oferecer flexibilidade nas suas instalações”   A empresa Clever...
- PUB -