8 Dezembro 2021, Quarta-feira
- PUB -
InícioOpiniãoNa Imprensa regional vai um país

Na Imprensa regional vai um país

Em tempo de crise como o que atravessamos, é imperioso assegurar a liberdade de imprensa e o direito à informação, fundamentais em democracia. O jornalismo tem um papel fundamental no esclarecimento e na sensibilização da sociedade, e também no escrutínio da resposta à pandemia.
É através dos media que nos chega o retrato do país, retrato esse que seria muito redutor se nos fosse oferecido apenas pelos 85% dos órgãos de informação que se concentram, excessiva e lamentavelmente, em Lisboa.

- PUB -

Esse retrato mais abrangente, plural e diverso do país é assegurado por aquilo a que chamamos de Imprensa regional, sendo que nela cabem sobretudo jornais e publicações periódicas, mas também rádios, sites e, mais raramente, televisões.

Essa pluralidade de olhares tem de ser assegurada e foi isso que levou o Sindicato dos Jornalistas a, depois de alertado pel’O Setubalense e pelo Sul Informação, questionar o Ministério da Saúde e a Direção-Geral da Saúde acerca da exclusão dos órgãos de informação regionais das conferências de imprensa diárias sobre a covid-19. A resposta levou algum tempo, mas foi positiva e, finalmente, a 13 de abril, começaram a ouvir-se perguntas de jornalistas que estão no terreno, fora da capital e de órgãos de informação de âmbito nacional.

Acontece que a Imprensa regional foi a primeira a sentir o impacto da pandemia, com a quebra abrupta de publicidade e vendas a obrigar à suspensão de dezenas de publicações e a outros tantos despedimentos ou lay-off.

- PUB -

Esta maior fragilidade da Imprensa regional torna-a também mais suscetível de interferência política, com autarquias locais a aproveitarem para fazer propaganda encapotada de conteúdo editorial e para vedarem aos jornalistas reuniões de caráter público.

Um quarto da ajuda de emergência anunciada pelo Governo será canalizado para a Imprensa regional, mas isso não é suficiente. É preciso adotar com urgência outras medidas, como a redução do porte pago e a oferta de subscrições online de órgãos de informação regional.

É urgente que o Estado assuma se quer que o país continue a ser contado. E que se comprometa a garantir que isso pode continuar a ser feito, com condições, a partir do terreno, de norte a sul, no litoral e no interior.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Tribunal reconhece direito de retenção de casas a famílias de Azeitão após falência de cooperativa

Decisão reconhece que famílias têm os seus créditos "garantidos" e "reconhecidos" pelos montantes que já pagaram, e que, como “consumidores” e por "tradição", têm...

Caso de gripe das aves detectado em Palmela

A DGAV lembrou que não existem evidências de que a gripe aviária seja transmitida para os humanos através do consumo de alimentos, como carne de aves de capoeira ou ovos

Águas de Moura subiu ao segundo lugar da tabela classificativa

Dos três da frente ninguém conseguiu ganhar e quem tirou partido disso foi a equipa orientada por Gonçalo Cruz que é agora vice-líder da competição.
- PUB -