9 Agosto 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioOpiniãoBom presságio para todo o Setembro e Outubro

Bom presságio para todo o Setembro e Outubro

Corremos o risco de nos apontarem o dedo como que assumíssemos um mau presságio, e o do aplauso de uma das partes que se situa no outro lado da barricada, cheia de desejos. Tipo: «Oxalá!!!»
«Verdi, Rossini, Mozart, Bizet, Gershwin (“Porgy and Bess… Summertime”), Puccini, Bellini, Leoncavallo – que será? É a Grande Gala de Ópera que às 21.30 horas de 5 de Setembro, no Palco 25 de Abril, com a Orquestra Lisboa Ginásio e o Coro Lisboa Cantat, ecoará junto à Baía do Seixal. Sem legendas – sem “panfletos” – para já, o PCP não desiludirá: em cada um daqueles oito, houve certamente… revolução.»
Tinha vêr com a noite da sexta-feira da Festa do Avante! de 2009, mas rigorosamente o que estava em causa era o desafio que o PCP assumia outra vez, «voltando à carga» – integralmente – com a mesma produção que em 2008 o inesperado mau tempo obrigou a anular. A Orquestra Sinfónica do Ginásio Ópera e o Coro Lisboa Cantat, como intérpretes de um grande acontecimento a que não eram alheios, conforme a brochura já editada com o Avante! de 18 de Junho, o Teatro Municipal de São Luíz, o Centro Cultural de Belém, a Escola Superior de Música e a Orquestra Metropolitana de Lisboa, acabariam por ser comprometidos militantes da… vingança!
«Os espectáculos musicais são, naturalmente, o elemento mais procurado da anunciada programação, mas o PCP não deixa de lhes pôr marca: basta recordar o “OPUS 2005” que no talhe de tempo próximo daquele que nos ocupa, e sempre no gigantesco Palco das multidões, então se associou às comemorações do 60º aniversário da derrota do nazi-fascismo. Quem não se lembra, em resumo, da Sinfonia nº 7 em Dó maior op. 60 “Leninegrado”, de Dmitri Shostakovich, ou, entre “canções populares nascidas do sofrimento e do combate travado na guerra”, num todo de “grande intensidade emocional”, do “L’Áffiche Rouge”, de Louis Aragon?»
O Suplemento Especial do órgão central do PCP da semana passada é dedicado ao Concerto do dia 1 de Setembro sob a égide do Centenário da Revolução de Outubro. A quem se faz chegar às mãos, pela nossa parte pelo menos prevenimos: «É pesado!», prescindido do «Cuidado, que é…».
Eis toda a primeira página, colorida com desenhos da época (1917) e fotografias de concertos, danças e autores, assim escrita: «Orquestra Sinfonietta de Lisboa Coro Sinfónico Lisboa Cantat Maestro Vasco Pearce Azevedo Maestro Jorge Alves Coro Solistas Marco Alves Nuno Dias Mário Laginha Canções Populares, Patrióticas e Revolucionárias Russas e Soviéticas».
Ocupa da página 17 à 24, e em final desta lá estão os naturais agradecimentos, sempre a reincidir: aos Centro Cultural de Belém, Escola Superior de Música de Lisboa, Banda da PSP, Teatro Municipal São Luís, A. V. Alexandrov Conjunto Académico de Canções e Bailado do Exército Russo, ONC, Produções Culturais.
Tem Cinema, na 22: «Do materialismo dialéctico de Sergei Eisenstein à representação da realidade em Dziga Vartov» – O Cinema ao serviço da Revolução. Mas são 8 páginas, insistimos!

Comentários

Valdemar Santos
Militante do PCP
- PUB -

Mais populares

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -