16 Agosto 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioOpiniãoCaminhando nos Continentes

Caminhando nos Continentes

Ao minuto de silêncio de homenagem a Fidel de Castro na noite de 26 de Novembro, em Setúbal, aquando um jantar-convívio de confraternização havia algum tempo programado, logo se seguiram mais de 30 punhos erguidos e cerrados e a palavra de ordem: “A luta continua, hasta la vitória sempre!”.

- PUB -

Após as intervenções de Augusto Fidalgo, Presidente da Associação de Amizade Portugal-Cuba (AAPC), e de Filipe Narciso, Presidente do Núcleo local, ao manusear de acordes e à voz deste jovem trovador setubalense juntou-se o Dr. Manuel Guerra Henriques, cantador de Coimbra, e uniram-se “Guantanamera”, no meio de tantas outras, jamais poderia deixar de ser assim, a terminar, e “Grândola, Vila Morena”.

Mas porque o cantador é advogado, logo ali foi tema, entre mesas, por estarem presentes membros da Associação Conquistas da Revolução (ACR), a condenação da suspensão da actividade de organizações e movimentos sociais sob a acusação por parte do Governo de Erodan de pertenceram a uma “rede terrorista”. A acuidade do tema devia-se a que dias antes, a 10, 11 e 12, assinalara-se o 50º Aniversário dos Pactos Internacionais de Defesa dos Direitos Humanos numa Conferência organizada em Lisboa por iniciativa da Associação Portuguesa de Juristas Democratas (APJD) na qual tomou a palavra a Associação de Advogados Progressistas da Turquia, cuja Delegação, mal regressada do Portugal de Abril, foi feita prisioneira. De imediato a ACR, outra participante, engrossou o coro da expressão de solidariedade para com todo o Povo da Turquia, orgulhosa ao mesmo tempo por a Associação turca resistir e ter ocupado ela as suas sedes e proclamar: “Não fechamos as portas, são portas abertas da Liberdade!”. Também se lhes seguiu as masmorras (segue-se a razão deste “Também”).

Em plena placa central – como sempre repleta de fregueses e visitantes – do Mercado do Livramento, em Setúbal, teve lugar na manhã da sexta, 16, em final de ano, a inauguração de uma Exposição de fotografias da sede e dos calabouços da PIDE, naquela cidade, iniciativa da Delegação Concelhia da União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP) com apoio da Câmara Municipal e das Juntas da União de Freguesias de Setúbal e da de São Sebastião.

- PUB -

O edifício, recentemente recuperado para fins do ensino particular, situa-se no Bairro Salgado, fazendo esquina entre a Rua Garcia Perez e a Rua Gago Coutinho e Sacadura Cabral. Dois testemunhos escritos evocam o 1º de Maio de 1973, um de Vítor Zacarias, o único sobrevivente do conjunto dos quatro encarcerados na manhã daquele Dia Internacional de luta, conjuntamente com “Germano Madeira, o Dimas e o Pombeiro”, segundo lembra igualmente Olga Madeira, filha de Germano.

Pedro Soares, o autor das fotografias e membro da Direcção da Delegação, em bréve alocução afirmou que “continuamos sem desânimo a aproveitar todas as oportunidades para denunciar os crimes e os horrores ocorridos durante 48 anos de fascismo em Portugal”. E neste 2017 a Exposição será itinerante.

Neste “neste” está pois o “aqui chegámos”. Vamos continuar a ter uma onda, a das Comemorações do Centenário da Revolução Socialista de Outubro, com o pico em Novembro, mas com ênfase em particular dada pelo PCP (que a 2, 3 e 4 de Dezembro levou a cabo em Almada o seu XX Congresso) ao 9 de Maio, assinalando mais um aniversário da derrota do nazi-fascismo rendido ao Exército Vermelho, em Praga. O desígnio e projecto que atravessam já três séculos, repetindo-nos como sempre, o da verdade, da esperança e do futuro, faz marca: sem darmos por isso quase, caminhamos nos Continentes.

- PUB -

 

 

Comentários

Valdemar Santos
Militante do PCP
- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Mulher morre em colisão entre dois veículos em Grândola

Uma colisão frontal entre dois veículos ligeiros na Estrada Nacional 261, no cruzamento do Carvalhal, provocou, esta tarde, um morto e dois feridos graves.

Discussão entre dono de restaurante e cliente termina com perseguição e tiros

Em causa está uma discussão entre o proprietário do restaurante e um cliente, que terá insultado a sua companheira.
- PUB -