1 Outubro 2022, Sábado
- PUB -
InícioLocalSinesGNR autua infractores por caravanismo e campismo ilegal em Sines

GNR autua infractores por caravanismo e campismo ilegal em Sines

46 pessoas foram autuadas na operação “Verão Seguro 2022” que decorreu no concelho na terça-feira

 

- PUB -

A Guarda Nacional Republicana (GNR) de Santiago do Cacém levou a cabo, na passada terça-feira, uma acção de fiscalização ao caravanismo e campismo ilegal na área protegida do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

A operação “Verão Seguro 2022” decorreu entre as praias de Porto Covo e São Torpes, no concelho de Sines, entre as cinco e as nove horas da manhã. Foram autuados 46 infractores, dos quais 26 pela prática de caravanismo ilegal e 20 por campismo selvagem ou fora da zona permitida.

Os proprietários das autocaravanas parqueadas ilegalmente foram multados entre os 150 e os 250 euros, enquanto as pessoas que praticavam o campismo selvagem foram alvo de contraordenações por violação do regulamento dos parques de campismo. Estes respetivos autos serão enviados para o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).

- PUB -

No terreno estiveram militares do Destacamento do Montijo e de Santiago do Cacém, bem como o Destacamento de Controlo Costeiro de Sines da Unidade de Controlo Costeiro (UCC).

A GNR alerta que o campismo e caravanismo ilegal ou irregular em área protegida pode conduzir a uma ocupação excessiva e desordenada de espaços públicos, zonas costeiras e áreas classificadas por autocaravanas e similares, com consequências negativas na paisagem, no ambiente, no ordenamento do território e na saúde pública. Os militares vão continuar a sensibilizar os caravanistas e campistas para que estes possam adotar um comportamento mais responsável e amigo do ambiente, especialmente nas áreas protegidas.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Alsa Todi não verá mais um cêntimo de Palmela se não cumprir o contrato

Município está indisponível para continuar a financiar o sistema e reclama à TML a aplicação de penalidades à operadora

Bombeira grávida de sete meses diz-se ‘injustamente dispensada’ de serviço

Autoridade para as Condições do Trabalho esteve no quartel da associação
- PUB -