19 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Setúbal no doutoramento de Diogo Ferreira

Setúbal no doutoramento de Diogo Ferreira

Setúbal no doutoramento de Diogo Ferreira

Tese do historiador sadino obteve a classificação máxima

 

Diogo Ferreira, setubalense que desde há anos se dedica à história local, defendeu, na tarde de quinta-feira, 21, provas de doutoramento na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa com uma tese intitulada “Setúbal entre a República do pós-guerra e a Ditadura Militar”.

- PUB -

O júri, presidido por João Luís Lisboa (da FCSH) e constituído por Teresa Nunes (da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), Albérico Afonso (da ESE de Setúbal), Paulo Jorge Fernandes (da FCSH), António Rafael Amaro (da Universidade de Coimbra) e Maria Fernanda Rollo (da FCSH), atribuiu a máxima classificação por unanimidade ao trabalho apreciado.

A arguição coube aos professores Teresa Nunes e Albérico Afonso, que consideraram o trabalho de Diogo Ferreira exemplar, fundamentado e inovador. A tese foi co-orientada pelas professoras Maria Fernanda Rollo (da Universidade Nova de Lisboa) e Ana Paula Pires (da Universidade dos Açores).

O tema desenvolvido por Diogo Ferreira abrangeu as vivências em Setúbal no período indicado, incidindo sobre três áreas distintas: a económica, a política e a social. O trabalho apresentado insistiu ainda no papel e importância que a história local tem vindo a ganhar, entendida sempre numa relação com a história nacional e internacional. Na apreciação final, Maria Fernanda Rollo referiu mesmo que “o que é extraordinário é que não se valorize a história local”, comentário relacionado com a escassa abertura que o mundo académico tem dado a esta vertente dos estudos históricos.

- PUB -

Diogo Ferreira referiu, numa intervenção final e depois de desafiado por Paulo Jorge Fernandes para falar sobre o seu futuro na história local: “O meu contrato com Setúbal existe desde que ali nasci”. Acrescentou ainda que o seu propósito é “apresentar conhecimento à comunidade” de que faz parte.

O jovem setubalense (n. 1991), que fez a licenciatura (2013) e o mestrado (2015) na mesma Faculdade que agora lhe atribuiu o doutoramento, tem já vários trabalhos publicados na área da história local – “Setúbal e a Primeira Guerra Mundial” (2017), “Os Combatentes do Concelho de Setúbal na Grande Guerra em França (1917-1918)” (2017, em co-autoria com Pedro Marquês de Sousa), “Bairro de Troino – Contributos para a sua história” (2020, em co-autoria com João Pedro Santos) e “Breve História da Freguesia de São Sebastião – Setúbal” (2021).

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -