26 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Milhares de munícipes unidos para ajudar raposa ferida no Parque Natural da Arrábida

Milhares de munícipes unidos para ajudar raposa ferida no Parque Natural da Arrábida

Milhares de munícipes unidos para ajudar raposa ferida no Parque Natural da Arrábida

População teme que animal selvagem não sobreviva por não conseguir “capturar presas por si próprio”

 

No Parque Natural da Arrábida, mais precisamente “perto das antenas, no final da subida pelo lado da Secil”, reside actualmente uma raposa que tem preocupado milhares de munícipes, uma vez que se encontra ferida numa das patas dianteiras, onde tem uma fractura já cicatrizada.

- PUB -

Entre comentários, partilhas e assinaturas numa petição criada para o efeito, os setubalenses, em conjunto com pessoas espalhadas pelo País e até além-fronteiras, têm-se unido e apresentado diversas sugestões. O caso foi partilhado por Vítor Guerreiro através da sua página de Facebook, com a publicação “a ter um alcance brutal e inesperado”, segundo explicou a O SETUBALENSE.

Apesar de a população ter conhecimento de que, ao percorrer a Arrábida, existe a possibilidade de vir a “dar de caras com raposas”, este animal em particular tem captado a atenção de “muitas pessoas e associações” por “se encontrar debilitado”.

Contudo, não se sabe há quanto tempo está a raposa ferida. “Por aquilo que me disseram, há mais de um ano”, referiu. Já outros cidadãos afirmam, com recurso à publicação de Vítor Guerreiro, que os ferimentos surgiram há mais anos, como é disso exemplo o comentário de Rui de Sousa, no qual afirma que o mamífero “já tem a pata partida desde 2014/2015”.

- PUB -

Este foi também um dos motivos que levou Vítor Guerreiro a expor a situação, com o objectivo de encontrar uma organização que capture o animal, que diz ser “muito dócil”, e que o leve para tratamento. “Esta raposinha continuará a sobreviver graças à comida oferecida por pessoas, uma vez que não deve conseguir capturar presas por si própria. Temo que não consiga sobreviver caçando”, sublinhou.

Petição pede recolha do animal para centro próprio

Além da publicação de Vítor Guerreiro na rede social Facebook, que tem movido milhares de cidadãos a tentar arranjar uma solução para a raposa ferida, foi ainda lançada uma petição, que conta actualmente com 1 304 assinaturas, onde se pede que “o animal seja recolhido para um centro de recuperação próprio para a espécie”.

- PUB -

Uma vez que tem “a pata esquerda dianteira com uma fractura já cicatrizada”, a petição sublinha que a raposa está “impossibilitada de ser auto-suficiente e de se poder alimentar devidamente”. “Assim sendo, procura por comida junto à estrada na esperança de que quem passa e de quando passa, pare e lhe ofereça algo”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -