12 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Apoio da Secil à cultura e ao desporto: um caso raro na região e no País

Apoio da Secil à cultura e ao desporto: um caso raro na região e no País

Apoio da Secil à cultura e ao desporto: um caso raro na região e no País

Empresa atribui todos os anos apoios financeiros a cerca de uma centena de associações

 

É um caso raro na região, e até no País. Nas duas últimas décadas, a Secil, grupo cimenteiro que tem uma fábrica no Outão, na Arrábida, tem apoiado anualmente cerca de uma centena de associações culturais, desportivas e de solidariedade social do concelho de Setúbal.

- PUB -

 

A prática, mantida pela empresa desde 2003, consiste na atribuição, todos os anos, de apoios financeiros, através de um programa estrutural, permanente e continuado, ao movimento associativo setubalense, alargado ainda a algumas colectividades de concelhos vizinhos.

 

- PUB -

Para o presidente da comissão executiva da empresa, Otmar Hübscher, esta medida beneficia “dezenas de milhares de setubalenses e azeitonenses nas suas actividades culturais, desportivas e em várias frentes de apoio social”.

 

Em 2023, ano em que o programa celebra 20 anos, os valores atribuídos foram actualizados para “compensar a inflação”, assim como para assinalar as duas décadas deste programa de apoio ao movimento associativo, explica a empresa. Na cerimónia, que decorreu a 26 de Junho no Cais 3 de Porto de Setúbal, marcaram presença 93 associações e clubes. Ao realizar-se neste local, a Secil conseguiu associar-se às comemorações dos cem anos do porto sadino.

- PUB -

 

Segundo o presidente da comissão executiva da empresa, Otmar Hübscher, o nascimento da Secil está “fortemente ligado” à criação do Porto de Setúbal, em que este “foi fundado em 1923, mas as grandes obras de construção em betão iniciaram-se apenas no final da década”.

 

“A empresa especializada na obra marítima, a construtora dinamarquesa Hoedgaard & Schultz, conjuntamente com outra empresa dinamarquesa, a FL Smithd, investiu com os sócios portugueses que detinham uma fábrica de cimento no Outão, em 1930, na construção de uma moderna fábrica de cimento artificial Portland, com o qual se podia produzir betão com a qualidade necessária às exigências das obras portuárias”, recordou o administrador.

 

A Secil começou a atribuir apoios financeiros às colectividades setubalenses em 2003, em conjunto com a Câmara de Setúbal. Passados três anos, estes valores passaram a ser entregues directamente pela empresa a cada uma das associações, com Otmar Hübscher a assegurar em 2023 que esta experiência é para continuar.

 

“Estamos muito satisfeitos por ter iniciado há duas décadas este caminho de responsabilidade social e reafirmamos o nosso compromisso de o continuar no futuro”, frisou.

 

Colectividades descrevem apoio como “importante” e “fundamental”

Entre as colectividades abrangidas pela medida encontra-se o Conservatório Regional de Setúbal, assim como a Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense ou ainda o Coral Infantil de Setúbal. A opinião é unânime: o apoio da Secil é importante para associações do concelho.

 

“Há 20 anos que estamos neste programa. Tem sido um apoio fundamental. É algo que é importante e estruturante porque temos ali um apoio seguro, que nos permite o nosso funcionamento regular”, explica a presidente da direcção do Coral Infantil de Setúbal.

 

Além da actividade regular, a instituição desenvolve várias iniciativas ao longo do ano, “como encontros de coros e deslocações de intercâmbio com outros agrupamentos corais”, o que “só é possível porque existe, entre outros, o apoio da Secil”, revela Isabel Mendes.

 

No caso do Rancho Folclórico das Praias do Sado, também abrangido pelo programa da empresa, Acácio Guerreiro, presidente da colectividade, garante que “a verba que a Secil dá todos os anos é muito boa”.

 

“As colectividades têm cada vez mais dificuldades na luz, água, seguro de autocarros e outras coisas. Acho que a Secil tem sido a ‘mãe’ não só do rancho, como de todas as colectividades. Só temos a agradecer o apoio que a Secil nos tem dado”, sublinhou.

 

Esta medida tem igualmente sido “determinante para a actividade do Conservatório Regional de Setúbal”. Assim o garante Nuno Costa, presidente da direcção da escola de ensino artístico especializado de música, que explica a O SETUBALENSE que “durante muito tempo este foi o maior apoio que o Conservatório Regional de Setúbal teve”.

 

“É determinante para a qualidade do ensino que o conservatório presta e para as actividades extracurriculares. Agradecemos à Secil por ter esta perspectiva de apoio ao movimento associativo”, salientou.

 

Também a Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense está integrada na lista. “O apoio da Secil, que vem sempre no fim do Verão, acaba por servir como um incentivo para a próxima época. Além disso, acaba por nos ajudar a fazer recuperações no edifício. É importantíssimo para nós e para todos os que o recebem”, afirma Graça Pereira, presidente da colectividade.

 

A par das instituições do concelho sadinos abrangidas pelo apoio, entre as quais se encontra o Grupo de Danças e Cantares Regionais do Faralhão, são ainda incluídos alguns projectos realizados em concelhos vizinhos, como o Festival Internacional de Saxofone de Palmela.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -