5 Dezembro 2021, Domingo
- PUB -
InícioLocalSetúbalEx-trabalhadores recordam antiga Renault em almoço-convívio

Ex-trabalhadores recordam antiga Renault em almoço-convívio

Bom ambiente de trabalho e produção inovadora são destacados pelos ex-trabalhadores da fábrica setubalense

 

- PUB -

Cerca de 160 ex-trabalhadores da antiga fábrica da Renault em Setúbal reuniram-se para um almoço-convívio, no sábado, procurando recuperar as vivências profissionais e os laços emotivos que ali se viveram ao longo de 18 anos, entre 1980 e 1998, naquela que foi uma unidade modelo da marca de automóveis francesa na Europa.

O encontro decorreu pela primeira vez no espaço da antiga fábrica, que integra hoje o parque empresarial BlueBiz, gerido pela aicep Global Parques, no Vale da Rosa.

À porta dos actuais escritórios do Bluebiz muitos são os que se deixam levar pelas vivas recordações daqueles tempos, a começar por José Carlos Gomes, que em 1996 assumiu o papel de primeiro e último director-geral português em funções na Renault.

- PUB -

“Como era o funcionário mais antigo e tinha mais experiência, fui escolhido e mantive-me cá até ao encerramento da empresa”, numa altura em que o director interino regressa a França e o Estado português assume o processo da fábrica, começa por recordar ao DIÁRIO DA REGIÃO.

Na fábrica ficaram cerca de 600 trabalhadores a produzir o célebre Renault Clio. Muito menos do que os 1.400 que chegaram a assegurar três turnos. “Isto tinha uma actividade brutal. Nós estávamos aqui uma média de 12 horas por dia e chegávamos a fazer 350 carros por dia. Mais de 600 mil carros em 18 anos”, garante João Serôdio, antigo director de produção.

- PUB -

Tal como José Carlos Gomes, que antes de ser director-geral foi chefe de várias secções, João Serôdio, 62 anos, cresceu dentro da empresa, para onde entrou em 1980. “Comecei como chefe de secção, passei a ser responsável da produção e saí daqui como chefe de qualidade. Profissionalmente foi uma experiência muito grande, permitiu-me conhecer todas as fábricas da Renault na Europa”.

Hoje, é um dos muitos funcionários já reformados que olham com nostalgia para os edifícios da antiga fábrica, que para o ano fará vinte anos que encerrou em Setúbal. Onde agora existem instalações vazias, com paredes repletas de história, laboraram grandes equipamentos e centenas de funcionários na construção de automóveis.

A fábrica começou por produzir o modelo R5 e em 1981 teve início a produção de componentes automóveis na unidade da Renault em Cacia, Aveiro, capaz de produzir 80 mil caixas de velocidade e 220 mil motores por ano (e que ainda existe). Aplicando métodos de trabalho e equipamentos inovadores para a época, a fábrica da marca francesa em Setúbal representou a criação de um complexo automóvel dinâmico, essencial à modernização da indústria da região e do país.

Mas a alegada falta de capacidade para produzir o modelo Clio numa escala maior, cerca de mil unidades por dia, “como as outras fábricas faziam ”, pode ter ditado o seu encerramento. “Além disso, a Renault tinha aberto uma fábrica nova na Jugoslávia com mão de obra mais barata e com pessoas mais novas”, constata o antigo director-geral José Carlos Gomes.

As portas da unidade fabril viriam a fechar a 31 de Julho de 1998, mas durante os dois anos que antecederam o fecho cerca de 600 trabalhadores ainda se mantiveram ali a produzir automóveis. “O mais dramático foi quando desactivámos as linhas todas” e os postos de trabalho desapareceram, acrescenta José Bastos, 59 anos, que começou como electricista e continuou como técnico de manutenção.

EQUIPA RENAULT. João Serôdio (à esq.), Natália Cardoso, Natividade Rala (ao centro), José Carlos Gomes e José Bastos

Entretanto, a empresa havia criado um gabinete de apoio aos desempregados e foi aí que Natividade Rala, funcionária administrativa, viveu um “marco muito forte” na sua vida. “Esse gabinete começou a funcionar cerca de um mês antes de a Renault fechar” – conta –, e a administração da empresa prolongou-lhe a vida até ao final do ano. “Nesse período recebemos vários colaboradores com problemas de adaptação à casa, ao vazio, ao desemprego. Foi traumático na região de Setúbal”, revela Natividade.

O processo foi contudo pacífico para a maioria, que saiu com direito a indemnizações e com uma experiência profissional capaz de abrir muitas portas no mercado de trabalho que, na altura, acabou por absorver muitos daqueles ex-trabalhadores. Só duas pessoas se mantiveram naquele local até hoje, integradas na aicep Global Parques.

“Sinto-me Renault quando chego a um almoço destes. Foram muitos anos aqui e muitos anos de trabalho. Sentimos que efectivamente a Renault foi uma família e tenho a certeza de que os colaboradores não encontraram outra fábrica como a Renault”, reforça Natividade Rala.

Foi precisamente para juntar toda a gente, dos operários aos quadros superiores, num momento de preservação de boas memórias, que há sete anos José Colaço, antigo responsável pela área de energia e fluídos, decidiu organizar estes encontros anuais. “Há aqui pessoas que vieram pela primeira vez desde há 20 anos”, diz. Com todos eles foi partilhado o bolo do sétimo almoço de ex-trabalhadores da Renault, no final da tarde de sábado.

This slideshow requires JavaScript.

Fotografias: João Serôdio
[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
André Rosa
Jornalista
- PUB -

Mais populares

Tribunal reconhece direito de retenção de casas a famílias de Azeitão após falência de cooperativa

Decisão reconhece que famílias têm os seus créditos "garantidos" e "reconhecidos" pelos montantes que já pagaram, e que, como “consumidores” e por "tradição", têm...

Caso de gripe das aves detectado em Palmela

A DGAV lembrou que não existem evidências de que a gripe aviária seja transmitida para os humanos através do consumo de alimentos, como carne de aves de capoeira ou ovos

Novas máquinas permitem emitir ou carregar cartão Navegante em apenas “um minuto”

Para já, encontra-se disponível um equipamento em cada um dos nove concelhos do Distrito que integram a AML   Os passes de transportes públicos Navegante podem...
- PUB -