5 Dezembro 2021, Domingo
- PUB -
InícioLocalSetúbalSetubalenses lançam projectos musicais independentes de Rap e R&B

Setubalenses lançam projectos musicais independentes de Rap e R&B

Ricardo Duarte, artista, Orlando Fernandes, produtor musical e Fernando Cruz, manager, batalham diariamente por fazer nova e melhor música, daquela que “não se ouve em Portugal”, garantem

 

- PUB -

Um álbum dentro dos géneros Trap e Rap e um projecto musical mais dedicado ao R&B, marcado por uma nova forma de fazer música, são estes os projectos da autoria de Ricardo Duarte, Orlando Fernandes e Fernando Cruz que prometem agitar o panorama musical setubalense.

Primeiro surgiu a ideia de “criar um projecto a partir de uma personagem, o “Unknown”, um alter-ego meu”, conta Ricardo Duarte ao DIÁRIO DA REGIÃO.

“Unknown”, um projecto marcadamente Trap (sub-género do Hip Hop), Rap e Hip Hop, culminou num álbum de dez músicas, “The Wild One”, com letras que “transmitem sentimentos de revolta” e algumas delas “muito interventivas, politica e socialmente”.

- PUB -

Com voz e letras da autoria de Ricardo Duarte, 25 anos, o álbum foi produzido pelo produtor musical Orlando Fernandes (Dejavu), graças a uma cedência da RW Studios, localizados em Setúbal. “Faltam-nos meios técnicos e financeiros. Temos feito mix tapes, e ganho experiência assim, mostrando às pessoas o que fazemos”, conta Ricardo.

A primeira experiência, conseguida não sem algumas falhas, deu balanço à equipa WMT (Wild Mind Team), composta pelos três amigos, para fazer mais e melhor na recente aposta musical com assinatura Rick D, de Ricardo Duarte.

Trata-se de um projecto do género R&B, “mais electrónico e mais cantado”, já com quatro músicas “muito bem produzidas e tecnicamente superiores face às produções do projecto ‘Unknown’”. O artista não tem dúvidas de que é algo “inovador, nunca visto em Portugal”. E explica porquê: “É R&B feito com uma visão mais psicadélica e robótica da música”, inspirado no que já se faz no estrangeiro.

- PUB -

Ricardo Duarte admite que as influências artísticas do que se faz lá foram existem – e para que se perceba melhor o género musical do seu novo projecto, dá como referências as músicas de The Weeknd e PartyNextDoor –, mas logo garante que todos estão empenhados em ser o mais originais possível.

“Nós somos os melhores em Portugal, porque cá ninguém está a produzir música como nós, com esta qualidade e a esta velocidade. Vamos continuar a fazer o nosso trabalho em estúdio, ouvindo novos beats, escrevendo novas letras, criando novos flows na masterização e equalização”, assegura.

Já as dificuldades e ausência de apoios à criação musical e cultural, assim como a falta de reconhecimento público das iniciativas jovens, não escapam às críticas. “Em Portugal somos os únicos a fazer isto”, reforça, apesar de tudo.

O álbum “Unknown” está disponível na plataforma digital SoundCloud para download gratuito e o projecto Rick D está em andamento, com presença nas redes sociais e uma primeira música, “Alfa”, lançada este mês no YouTube.

Foto: D.R.
[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
André Rosa
Jornalista
- PUB -

Mais populares

Tribunal reconhece direito de retenção de casas a famílias de Azeitão após falência de cooperativa

Decisão reconhece que famílias têm os seus créditos "garantidos" e "reconhecidos" pelos montantes que já pagaram, e que, como “consumidores” e por "tradição", têm...

Caso de gripe das aves detectado em Palmela

A DGAV lembrou que não existem evidências de que a gripe aviária seja transmitida para os humanos através do consumo de alimentos, como carne de aves de capoeira ou ovos

Novas máquinas permitem emitir ou carregar cartão Navegante em apenas “um minuto”

Para já, encontra-se disponível um equipamento em cada um dos nove concelhos do Distrito que integram a AML   Os passes de transportes públicos Navegante podem...
- PUB -