20 Maio 2024, Segunda-feira

- PUB -
Moita, Almada e Seixal contribuem para recolha de 203 toneladas de electrodomésticos

Moita, Almada e Seixal contribuem para recolha de 203 toneladas de electrodomésticos

Moita, Almada e Seixal contribuem para recolha de 203 toneladas de electrodomésticos

Número representou um aumento de 70% em relação ao total reencaminhado para reciclagem nos dois primeiros anos do projecto

Moita, Almada e Seixal foram três dos seis concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML) que, em 2023, contribuíram para a recolha de um total de 203 toneladas de electrodomésticos ao domicílio, anunciou nesta terça-feira o Electrão – Associação de Gestão de Resíduos. Os três municípios da Península de Setúbal, juntamente com Lisboa, Loures e Odivelas, são actualmente os únicos da AML onde decorre este projecto de recolha de equipamentos elétricos porta-a-porta, embora esteja em avaliação o alargamento a mais seis, entre os quais se conta Palmela.

As mais de 200 toneladas de aparelhos eléctricos recolhidas no ano passado representou, segundo o Electrão, “um aumento de 70% face ao total reencaminhado para reciclagem nos dois primeiros anos do projecto”, em 2021 e 2022, quando o total das recolhas foi de 120 toneladas.

- PUB -

Pediram esta recolha 2 806 famílias, cada uma das quais entregou em média 1,5 equipamentos usados para reciclagem, resultando, no total, em cerca de 4 200 eletrodomésticos recolhidos.

“Foram recolhidas 70 toneladas de equipamentos de frio, como frigoríficos e arcas congeladoras; 84 toneladas de outros grandes equipamentos eléctricos, como máquinas de lavar roupa e loiça, e ainda 14,5 toneladas de pequenos equipamentos, como ferros de engomar e torradeiras. A restante quantidade corresponde a lâmpadas, equipamentos informáticos e pilhas”, divulgou aquela associação de gestão de resíduos.

Segundo um estudo desenvolvido pelo Electrão, três em cada quatro equipamentos eléctricos descartados na via pública para recolha pelos serviços municipais “são desviados para o mercado paralelo”, que “processa os equipamentos eléctricos sem acautelar a sua correcta descontaminação”. E isso “acarreta graves impactos para a saúde e o ambiente, já que muitos desses aparelhos possuem componentes perigosos”.

- PUB -

Os interessados podem requisitar o serviço gratuito de recolha de electrodomésticos ao domicílio, nos municípios onde o projecto se encontra a decorrer, através do Electrão (800 262 333) ou nas respectivas câmaras municipais.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -