16 Maio 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalSeixalMGBOOS anseia regressar às competições e poder levar a freguesia além-fronteiras

MGBOOS anseia regressar às competições e poder levar a freguesia além-fronteiras

Hip-hop e ginástica são as principais modalidades. Direcção não exclui regresso do atletismo

 

- PUB -

A associação desportiva, cultural e social MGBOOS surge na freguesia da Quinta do Conde para dar resposta a uma lacuna verificada no domínio de modalidades como a dança, nomeadamente o hip-hop, a ginástica e o

atletismo. Tem vindo a arrecadar várias distinções a nível nacional e internacional e depois de todos os transtornos causados pela pandemia deseja que o regresso às competições esteja para breve.

“Quando o grupo começou, com o hip-hop, a competição obrigava a que alunos só pudessem competir associados a uma federação. Íamos agregados à então associação de dança MGBOOS que existia em Coina”, começa por dizer Isabel Pereira, presidente e uma das sócias fundadoras da associação desportiva, cultural e social MGBOOS, a O SETUBALENSE. “Na Quinta do Conde, o hip-hop começa no Centro Comunitário e depois foi crescendo com o professor Eduardo Silva, um dos fundadores do MGBOOS. Fomos tendo cada vez mais alunos e decidimos criar uma associação na freguesia quintacondense e não depender de outra”, adianta, frisando que “a partir daí começaram a ser traçados caminhos próprios, agradecendo sempre o facto de a outra associação ter recebido os nossos meninos”.

- PUB -

Fundada a 1 de Setembro de 2009, a associação iniciou as suas actividades no Centro Comunitário da Quinta do Conde e mais tarde continuou na sede do Partido Comunista, onde esteve até 2018. “Começámos numa sala polivalente e fomos crescendo, mantendo presente o objectivo da dança, ginástica, atletismo e outras modalidades.

Registámos cada vez mais procura e os resultados começaram a aparecer nas várias modalidades”, refere.

Por sua vez, Manuel Matos, presidente da mesa da assembleia geral e igualmente sócio fundador, partilha que fizeram “questão de manter o nome MGBOOS, inicialmente existente em Coina, e dar continuidade a esse projecto. Acabou por desaparecer no Barreiro mas aqui não deixámos morrer este nome e o legado que traz consigo”.

- PUB -

Em uníssono, partilham “a necessidade crescente que sentíamos de ter um espaço próprio, quando o nome MGBOOS disparou com os talentos que temos”. Hoje têm sede na Rua da Alegria, no antigo edifício do cinema da Quinta do Conde, fruto de um protocolo com a Câmara Municipal de Sesimbra. “O presidente Augusto Pólvora acreditou em nós, apresentou-nos este projecto e infelizmente faleceu antes de virmos para cá. Lutámos tanto para ter este espaço”, contam. “É uma sala partilhada com a comunidade e pode ser utilizada, como tem vindo a ser, para acções de formação, concertos, lançamentos de livros e outros eventos”, adiantam.

A associação, que conta com o apoio da Junta de Freguesia da Quinta do Conde e da Câmara Municipal de Sesimbra, participa habitualmente nos eventos do concelho e espera que as comemorações do 25 de Abril sejam a próxima iniciativa em que participam: “Os jovens adoram porque lhes permite mostrar à comunidade o trabalho desenvolvido”.

Organiza ainda espectáculos de dança no Cineteatro Municipal João Mota, já participou diversas vezes na abertura do festival Sol da Caparica e foi à final do programa televisivo Got Talent em 2021. Brilha pelo País e pelo mundo fora. “Nas nossas modalidades, participamos em competições no País e fora dele. Muitos pódios foram ganhos. Na ginástica, fomos recentemente campeões nacionais individual e em grupo.

Levamos a Quinta do Conde a outros patamares”, assegura Isabel Pereira. “O hip-hop é considerado modalidade amadora pela federação mas nós continuamos. Outras entidades dinamizam esta actividade e neste campo são muitos os nossos resultados”, acrescenta, dando o exemplo de que em 2019 venceram o Campeonato Nacional de hip-hop na Torre da Marinha e por isso representaram Portugal na Holanda, no campeonato internacional, onde obtiveram o quinto lugar. “Também os nossos professores têm sido premiados por diversas vezes. Estagnámos a nível da competição porque a situação nos abrigou mas mal podemos esperar por voltar à normalidade”, contam. “Estamos fora das competições há dois anos mas já voltámos a treinar. Temos de ir aos poucos. Há esperança que possamos participar no Campeonato Mundial de hip-hop em breve. O apuramento é em Maio e o campeonato será em Outubro ou Novembro, na Torre da Marinha”, continuam.

A actual direcção não exclui no entanto a possibilidade do regresso à dinamização do atletismo, que, de acordo com Isabel Pereira, “fez parte das nossas modalidades e pode voltar a fazer. Fomos muitas vezes campeões nacionais, registamos muito bons resultados”.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas

“A Judiciária que investigue, não temos nada a esconder”

Igor Khashin e Yulia Khashina falam pela primeira vez após o inicio da polémica

Matias Damásio a abrir com The Gift pelo meio e Dulce Pontes a fechar as Festas de São Pedro

Calendário das três actuações está definido. Depois de dois anos de interregno, a tradição volta a ser o que era
- PUB -