29 Junho 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalSeixalJudiciária detém suspeito da morte do atleta Ricardo Jaquité

Judiciária detém suspeito da morte do atleta Ricardo Jaquité

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 24 anos suspeito do homicídio do atleta de triplo salto Ricardo Jaquité, no passado dia 2 de Dezembro, no concelho do Seixal, foi hoje anunciado.

- PUB -

Em comunicado, a PJ de Setúbal adiantou que, na sequência de uma desavença com o “antigo atleta e ex-amigo”, o presumível homicida o esfaqueou nas mãos, na cabeça e no tronco, provocando-lhe diversas hemorragias internas que acabaram por lhe causa a morte.

O detido, indiciado pelos crimes de homicídio qualificado, detenção de arma proibida e omissão de auxílio, foi presente a tribunal, tendo-lhe sido aplicada a medida de coacção de prisão preventiva.

Ricardo Jaquité, atleta que se destacou no triplo salto, morreu no dia 2 à noite no Hospital Garcia de Orta, em Almada, na sequência de um esfaqueamento ocorrido na via pública, no bairro da Arrentela, no vizinho concelho do Seixal.

- PUB -

A notícia da morte do internacional português, que tinha 31 anos, foi avançada no dia 3 pelo ‘site’ da Federação Portuguesa de Atletismo, na nota de pesar pelo sucedido. Sporting e Sporting de Braga, dois dos clubes que representou, também apresentaram notas de condolências.

Natural do Seixal, Ricardo Jaquité representou o Cavadas, Pinhalnovense, Casa do Benfica de Faro, Juventude Operária de Monte Abraão, Sporting e Sporting de Braga e chegou a representar Portugal no Europeu de Selecções, em 2017.

De momento sem clube, estava suspenso por ter acusado positivo num controlo antidoping em 2018 e poderia regressar à competição em 10 de Fevereiro do próximo ano.
O óbito foi declarado já no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

Revolta no velório de Jéssica obriga à presença de bombeiros e polícia

Avó paterna e alguns populares revoltam-se com mãe da criança durante a cerimónia fúnebre
- PUB -