3 Março 2024, Domingo
- PUB -
InícioLocalPalmelaMoradores e município em 'braço-de-ferro' por construção de 40 fogos para renda...

Moradores e município em ‘braço-de-ferro’ por construção de 40 fogos para renda apoiada

Diálogo entre as partes esgotado. Autarquia marca sessão de esclarecimento para toda a população. Residentes prometem endurecer protestos

 

- PUB -

Está criado um “braço-de-ferro” entre moradores na zona de Aires e o município de Palmela, depois da reunião realizada entre as duas partes no dia 26 de Janeiro ter redundado em fracasso. Os residentes continuam a exigir a interrupção do plano de construção de 32 fogos em Aires e oito em Cabeço Velhinho, destinados a arrendamento apoiado, no âmbito da Estratégia Local de Habitação (ELH), e prometem endurecer as acções de protesto. A câmara recusa-se a alterar o projecto e decidiu convocar uma reunião de esclarecimento sobre a implementação da ELH, aberta a toda a população do concelho, para as 21 horas do próximo dia 15, no Cine-Teatro São João.

A sessão foi anunciada em comunicado, publicado no passado dia 2, no site da autarquia. O diálogo entre a Comissão Instaladora da Associação de Moradores da Zona de Aires (CIMZA) e o município está esgotado. Tanto que Álvaro Balseiro Amaro, presidente da câmara, prefere sublinhar que a posição da edilidade está vertida no documento lançado na última sexta-feira e que as explicações sobre todo o processo serão dadas na sessão de dia 15. “Vamos é responder e explicar publicamente às pessoas”, disse o autarca a O SETUBALENSE.

No comunicado, a autarquia lembra que a ELH “foi desenvolvida ao longo de 2020, num processo participado, e aprovada em 2021, por unanimidade das forças políticas com assento na câmara e na Assembleia Municipal”. E que, “em termos globais, as várias medidas previstas na ELH somam 209 habitações”, com a seguinte distribuição geográfica: “91 para Pinhal Novo (o que representa 44% do total)”; “63 para a freguesia de Palmela (30%)”; “33 para Poceirão/Marateca (16%)”; e “22 para Quinta do Anjo (10%)”. “À localidade de Aires, freguesia de Palmela, correspondem apenas 19% das habitações previstas (32 fogos em Aires e oito no Cabeço Velhinho, a construir)”, frisa o município no documento, para afirmar que estes números “contrariam a ideia de concentração [de construção] em Aires”.

- PUB -

E reforça: “O parque habitacional municipal alberga, actualmente, 50 famílias. Nenhum destes agregados habita em Aires. Dos 52 fogos já adquiridos para reabilitação (meta de 101), nenhum é em Aires. Dos 115 fogos novos a construir, apenas 40 (34%) serão em Aires.”

Comissão acusa câmara de malabarismo com números

A CIMZA tem, porém, entendimento diferente. E em resposta, num comunicado enviado ontem à redacção de O SETUBALENSE, acusa a câmara municipal de contar “uma história cheia de malabarismos”.

- PUB -

“No decorrer das iniciativas da CIMZA, a Câmara Municipal de Palmela emitiu um convite à população para uma sessão de esclarecimento para dia 15 de Fevereiro. Sessão essa que estava inicialmente prevista para Maio”, faz notar a comissão, antes de considerar que o comunicado do município apresenta “uma história contada à luz da leitura dos números que interessam à autarquia de Palmela”.

“No comunicado publicado no dia 2 de Fevereiro, [a câmara] fala agora em termos globais, incluindo todas as medidas propostas (na grande maioria reabilitação de apartamentos dispersos sem concentração), cerca de 209 fogos, dos quais 32 em Aires e oito no Cabeço Velhinho, cerca de 19%. Conclui-se, pois, que o constante malabarismo dos números apresentados pela Câmara Municipal de Palmela, misturando medidas como a reabilitação e aquisição de fogos já construídos com a nova construção, visa unicamente tentar camuflar o óbvio: que pretende centralizar a maioria dos novos fogos a construir na zona de Aires e Cabeço Velhinho”, afirma a comissão, que a concluir promete “intensificar as acções de protesto contra a intransigência da autarquia” em prosseguir com o projecto.

- PUB -

Mais populares

Homem encontrado morto em casa no centro de Setúbal [Actualizada]

Cadáver de José, de 66 anos, foi transportado para a morgue do Hospital de São Bernardo para realizar autópsia

PJ investiga cadáver encontrado no interior de uma viatura em Setúbal

Populares alertaram as autoridades pelas 22h30. Homem, de 57 anos, terá morrido por causas naturais

Pedro Catarino já é goleador-mor dos sadinos na 1.ª Divisão da AF Setúbal

Com cinco golos no Vitória B, avançado do plantel principal volta a ser decisivo
- PUB -