30 Novembro 2021, Terça-feira
- PUB -
InícioLocalPalmelaMundimat: Consolidar no presente para elevar fasquias no futuro

Mundimat: Consolidar no presente para elevar fasquias no futuro

Com mais de 20 anos de experiência no mercado da construção e distribuição, inovação continua a ser factor decisivo

 

- PUB -

A Mundimat SA, atravessa uma fase de grandes desafios. A empresa, sediada em Quinta do Anjo, criada em 1998, é especializada em áreas de produção e distribuição de materiais de construção, reabilitação, manutenção de edifícios e na prestação de serviços no fabrico, instalação, manutenção mecânica industrial, construção civil e obras publicas para o mercado nacional e internacional.

O grande objectivo, aponta a O SETUBALENSE Marcos Vicente, administrador da Mundimat, continua a ser o crescimento. “Mesmo tendo consciência que temos velocidades diferentes dentro da nossa organização e nos vários sectores. Por exemplo, as recentes áreas criadas estão claramente com foco no crescimento, enquanto outras estão em fase de inovação e temos algumas que sim têm que estabilizar. Consolidar para que possam novamente elevar fasquias”.

A manutenção da Mundimat, que figura no 129.º lugar do ranking das 500 Maiores Empresas do Distrito de Setúbal, é considerada pelos seus responsáveis como o resultado de uma gestão focada na consolidação no presente sem descurar o futuro.

- PUB -

“Consolidação é um factor sem dúvida crucial, mas existem outros. Principalmente uma definição de estratégias e objectivos a médio prazo em conjunto com objectivos imediatos apostando na estabilização das equipas, focadas, motivadas e em permanente formação. Ou seja, virar a gestão para a qualidade dos postos e ferramentas de trabalho, melhoria das instalações etc. O segundo factor é a junção de uma aposta ganha numa maior diversificação das áreas de actividade permitindo mais serviços e materiais, o que nos permite ter médias estáveis e medir o evoluir do negócio com maior grau de informação, assente na credibilidade dos nossos parceiros”.

Com 2021 quase no seu términus, Marcos Vicente revela que, apesar de um ano atípico, a Mundimat está a crescer em relação ao ano anterior.

“No global foi um ano atípico e dos mais desafiantes com a crise das matérias primas e mão-de-obra que afectou radicalmente as cadeias de abastecimento. O crescimento violento do aumento dos preços, com alterações praticamente semanais, gerou uma necessidade permanente de revisão dos contractos. A falta de mão-de-obra, em todos os níveis de especialização, retirou estabilidade, criou incertezas e alocou recursos a monitorizar diariamente estas rápidas mudanças. Todo este ambiente adverso fez repensar a organização interna. Com todos estes desafios, o mercado até correspondeu com um crescendo de actividade na construção, que nunca parou, mesmo na pandemia. Essa dinâmica, aliada à nossa resiliência e rápida mudança, permitiu-nos registar um crescimento global em todas as áreas de actividade e prever uma viabilidade para as que foram recentemente criadas”.

- PUB -

Com mais de 20 anos de experiência no mercado da construção e distribuição, o administrador da Mundimat, enumerou a O SETUBALENSE os principais atributos que permitiram à empresa afirmar-se como uma referência no sector.

“O nosso slogan, ‘A diferença na solução’, responde praticamente à questão, sempre difícil: somos muito proactivos, dinâmicos, inconformados e temos uma grande proximidade com o cliente, assente numa credibilidade e estabilidade a montante, com os nossos parceiros de actividade, e são estes factores que nos permitem, aliados a um stock arrojado de materiais, termos sempre a solução, mesmo que alternativa, que cumpre com as necessidades do cliente.”, explica.

A concluir, Marcos Vicente define a visão para o futuro da Mundimat nos próximos anos, tanto em termos nacionais e como internacionais.

“Em termos globais, é subir na cadeia de valor da nossa actividade e claramente ter uma expansão de algumas áreas de negócio para níveis nacionais. Em termos internacionais equacionamos alguns convites, mas a empresa já opera regulamente no mercado europeu na área dos facility services”.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -