29 Setembro 2022, Quinta-feira
- PUB -
InícioLocalPalmelaConversas literárias com Possidónio Cachapa na Biblioteca Municipal de Palmela

Conversas literárias com Possidónio Cachapa na Biblioteca Municipal de Palmela

A sessão está marcada para as 16 horas e vai ser transmitida em directo na página do Facebook “Palmela Município”

 

- PUB -

A próxima conversa literária “365 Dias de Romance” vai apresentar, a 30 deste mês, na Biblioteca Municipal de Palmela, o escritor Possidónio Cachapa. A sessão está marcada para as 16 horas e vai ser transmitida em directo na página do Facebook “Palmela Município”.

A autarquia salienta que Possidónio Cachapa tem desempenhado também funções de argumentista e realizador e lembra alguns dos trabalhos assinados pelo escritor.

“Nasceu e cresceu em Évora, antes de partir para os Açores e daí seguir para outras paragens. É autor de diversos romances e novelas, entre os quais se destacam ‘Nylon da minha aldeia’, adaptado ao cinema, ‘Materna doçura’, ‘Viagem ao coração dos pássaros’, ‘Segura-te ao meu peito em chamas’, e ‘O mundo branco do rapaz-coelho’, além de contos, crónicas, livros infantis e peças de teatro”. Além disso, realça ainda o município, Possidónio Cachapa “realizou, entre outros filmes, ‘Adeus à Brisa’, sobre Urbano Tavares Rodrigues”.

- PUB -

A obra do escritor, argumentista e realizador “está traduzida em vários países” e tem sido até “objecto de teses universitárias internacionais e de adaptações a vários géneros artísticos”.

A iniciativa “365 Dias de Romance: Conversas Literárias” é promovida pela Câmara Municipal de Palmela, em parceria com a Casa Ermelinda Freitas – no âmbito do Programa Mecenas de Palmela – e a Livraria Culsete.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes
- PUB -