23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Assembleia Municipal quer gestão PS a pressionar tutela para abertura de farmácia em Santo Isidro de Pegões

Assembleia Municipal quer gestão PS a pressionar tutela para abertura de farmácia em Santo Isidro de Pegões

Assembleia Municipal quer gestão PS a pressionar tutela para abertura de farmácia em Santo Isidro de Pegões

Recomendação da CDU foi aprovada com 23 votos a favor. Chega, Iniciativa Liberal e Bloco de Esquerda abstiveram-se

 

A Assembleia Municipal do Montijo recomendou à gestão autárquica do PS que intervenha junto da tutela no sentido de Santo Isidro de Pegões poder vir a contar com uma farmácia. A recomendação apresentada pela bancada da CDU foi aprovada por maioria, no passado dia 14, e realça as debilidades com que as populações das freguesias rurais de Canha e Pegões se debatem no acesso a respostas do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

- PUB -

“O Governo pode e deve, junto do INFARMED – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, cuja actividade é considerada de serviço de utilidade pública com apoios derivados dessa situação, considerar um acordo ou protocolo a estabelecer para abertura de uma farmácia em Santo Isidro de Pegões, na defesa dos superiores e legítimos direitos da população”, lê-se no texto.

No documento é realçada a insuficiência dos serviços de cuidados de saúde primários nas duas freguesias. “É a falta de médicos e enfermeiros, chegando os utentes a estar à espera 30 dias para obterem uma receita de medicamentos. Em Santo Isidro de Pegões a situação é ainda mais grave, não tem um pólo rural de saúde como também não tem farmácia, o que obriga [os utentes] a deslocações de quilómetros, por vezes ao frio, ao vento, à chuva e à noite, para a farmácia situada no cruzamento de Pegões.”

A Assembleia Municipal recomendou, assim, à gestão autárquica do PS que, “com veemência, determinação e firmeza, utilize todos os meios ao seu alcance junto da Administração Regional de Saúde, do Ministério da Saúde e do Governo para a resolução da situação”, considerada “sinistra e inaceitável”. A recomendação foi aprovada com os votos favoráveis de PS (11), PSD (5), CDU (5), Chega (1) e BE (1), registando as abstenções de CDS (2) e IL (1).

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -