28 Setembro 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalMontijoProtocolo entre autarquia e Cruz Vermelha garante testes rápidos à covid-19

Protocolo entre autarquia e Cruz Vermelha garante testes rápidos à covid-19

Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal do Montijo, e Francisco George, que preside à Cruz Vermelha, assinaram na última terça-feira, nos Paços do Concelho, um protocolo de colaboração entre as duas entidades. O acordo define o quadro de cooperação entre a delegação de Foz Tejo da Cruz Vermelha e o município para a execução de rastreios à covid-19.

- PUB -

A primeira entidade vai assegurar a realização de “testes antigénio de leitura rápida covid-19” e o município compromete-se a financiar a operação num “valor semestral de 50 mil euros”, o que equivale “a um total de 2 600 testes”, revelou a autarquia, em nota de Imprensa.

Durante a cerimónia, Nuno Canta foi condecorado pela Cruz Vermelha Portuguesa. O autarca montijense recebeu das mãos de Francisco George a Medalha de Agradecimento da Cruz Vermelha. “Com esta distinção, a Cruz Vermelha Portuguesa reconheceu, no cumprimento do Regulamento de Condecorações e dos Estatutos da instituição, as circunstâncias e os merecimentos nas respostas municipais aos mais vulneráveis na crise pandémica do coronavírus”, salientou o município.

Ainda de acordo com a autarquia, o presidente da Cruz Vermelha Portuguesa “realçou a facilidade de cooperação e o envolvimento do município em todas as acções desenvolvidas” no combate à pandemia.

- PUB -

O concelho do Montijo é um dos mais avançados no plano nacional de vacinação contra o vírus. Até à semana passada, segundo o presidente da autarquia, já tinham sido inoculadas quase 54 mil pessoas no centro de vacinação em massa instalado no pavilhão do Esteval.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes
- PUB -